Mais de 70% das autoestradas sem portagens na Europa localizam-se em Espanha

Em Portugal, bem como na Alemanha e restantes países comunitários todas as grandes autoestradas têm portagens.

Ao contrário de Portugal, onde a todas as autoestradas têm portagens, Espanha é o país da União Europeia com a maior rede de grandes autoestradas livres de portagens, noticia o “El Economista” esta terça-feira, citando dados do Ministério das Finanças espanhol e da Seopan, a associação de empresas construtoras e concessionárias de infraestruturas.

Os dados referidos pelo jornal espanhol indicam que 73% das grandes  autoestradas de acesso e circulação livre de portagens localizam-se em Espanha. Apenas 15,9% das autoestradas espanholas obrigam ao pagamento de portagens..

Comparativamente, em toda a União Europeia, 86% das grandes autoestradas em Itália e 79% das mesmas em França têm portagens. Em Portugal, bem como na Alemanha e restantes países comunitários todas as grandes autoestradas têm portagens.

Recomendadas

Presidente da República de São Tomé e Príncipe pede investigação e responsabilização de culpados de mortes após ataque a quartel

Após o ataque de sexta-feira da semana passada ao quartel militar, numa ação classificada como “tentativa de golpe de Estado” pelas autoridades são-tomenses, o Presidente esclareceu que as “investigações prosseguem no sentido do apuramento geral da verdade”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Ucrânia: Comissão Europeia quer criminalizar subversão das sanções à Rússia na UE

“A Comissão Europeia apresenta hoje uma proposta para harmonizar as infrações penais e as penas pela violação das medidas restritivas da UE [pois], embora a agressão russa à Ucrânia ainda decorra, é primordial que as medidas restritivas da UE sejam plenamente aplicadas e que a violação dessas medidas não seja compensadora”, salienta a instituição em comunicado de imprensa.
Comentários