Mais de 74 mil investidores compraram as OTRV com pior rentabilidade de sempre

Do total de investidores, 64.441 (86,9%) aplicaram entre o valor mínimo e 20 mil euros. Na sexta oferta de obrigações para o retalho, a taxa de juro foi a mais baixa de sempre.

D.R.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, o IGCP, emitiu 1.300 milhões de euros em Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) a 74.178 investidores, numa operação em que a procura foi de 139% da oferta, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira.

Do total de investidores, 64.441 (86,9%) aplicaram entre o valor mínimo e 20 mil euros, enquanto 8.800 (11,9%) investiram entre 20.001 euros e 50 mil. No patamar seguinte, dos 50.001 aos 100 mil euros, foram 618 (0,8%) e apenas 319 pessoas (0,4%) investiram mais de 100 mil euros.

Esta oferta do instrumento do Estado para aforradores particulares foi a sexta emissão do género realizada pelo Tesouro, sendo que estas têm maturidade em dezembro de 2022. O juro é pago semestralmente a 5 de junho e 5 de dezembro de cada ano e é calculado a uma taxa de juro variável e igual à Euribor a 6 meses acrescida de 1,1%, segundo o IGCP.

No entanto, é a menos rentável de sempre e, pela primeira vez, a Deco desaconselhou a subscrição, como explicou em entrevista ao Jornal Económico. “Não recomendamos a subscrição. Aliás, é a primeira emissão de OTRV que não recomendamos”, explicou o economista da Deco Proteste Investe, António Ribeiro. “É a sexta e o rendimento tem vindo sempre a decrescer: é bastante baixo e proporciona um rendimento líquido de 0,8%”.

Relacionadas

Tesouro aumenta oferta de obrigações para o retalho para 1.300 milhões de euros

O IGCP comunicou esta terça-feira o aumento do valor da emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável para mais do dobro do montante inicial.

Produtos de poupança do Estado: acabou o El Dorado

É lançada esta quarta-feira a sexta emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável, a primeira que a Deco não recomenda. Segundo as contas da associação, nenhum dos produtos oferecidos neste momento pelo Estado é aconselhável.

Tesouro espera acabar o ano com mais de cinco mil milhões de euros dos investidores de retalho

Portugal vai ao mercado esta semana para emitir até 1.500 milhões de euros, através de dois leilões de Bilhetes do Tesouro a seis meses e a um ano.
Recomendadas

José Maria Monteiro de Azevedo Rodrigues é o novo presidente da Comissão de Normalização Contabilística

A decisão foi tomada em Conselho de ministros e publicada hoje, sexta-feira, no Diário da República, informou o Ministério das Finanças em comunicado.

PremiumSão poucos os contribuintes que pagam metade dos rendimentos em IRS

Dados do Ministério das Finanças mostram que menos de 0,01% dos contribuintes pagam IRS acima de 45%. Fiscalistas alertam, ainda assim, que taxas são “confiscatórias”, desincentivam o trabalho e podem promover emigração.

OE2023. Comissão Europeia pede orçamento português “coerente” com prudência orçamental

A Comissão Europeia instou hoje o Governo português a “tomar as medidas necessárias” para que o Orçamento do Estado para 2023 (OE2023) seja “coerente” com prudência orçamental, alertando para “riscos” no défice e dívida por apoios às famílias.
Comentários