Mais de 88 mil vacinados contra a Covid e gripe em 24 horas

Mais de 88.000 pessoas foram vacinadas nas últimas 24 horas contra a covid-19 (esquema primário completo e reforço) e contra a gripe, indica o relatório da vacinação de hoje divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nas últimas 24 horas foram vacinadas com o reforço contra a covid-19 mais 68.064 pessoas, o que perfaz até agora um total de 2.393.088 vacinas de reforço contra o novo coronavírus.

Também já foram vacinadas 95.352 crianças com menos de 12 anos, mais 80 nas últimas 24 horas. (A maioria dos casos de vacinação de crianças decorreu no passado fim de semana, o primeiro dedicado a esta faixa etária).

Os dados de hoje da DGS indicam ainda que 8.657.229 pessoas têm a vacinação primária completa contra a covid-19, e 2.323.632 foram vacinadas contra a gripe.

Segundo os dados da DGS já receberam a dose de reforço da vacina contra a covid-19 86% das pessoas com 80 ou mais anos, 83% das pessoas entre os 70 e os 79 anos, 45% das pessoas com idades entre os 60 e os 69 anos, e 15% das pessoas entre os 50 e os 59 anos.

A covid-19 provocou mais de 5,35 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.812 pessoas e foram contabilizados 1.233.608 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 89 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Recomendadas

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

OE2023: Iniciativa Liberal vai insistir no desagravamento de vários impostos

O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse hoje, em Coimbra, que o partido vai apresentar cerca de uma dúzia de propostas de alteração ao Orçamento de Estado para 2023, que visam o desagravamento de vários impostos.

OE2023: “É insano pretender que a política orçamental seja a salvadora de todos”, diz coordenador da UTAO

Em entrevista à Lusa, Rui Nuno Baleiras, coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), defende que a política orçamental não pode anular o efeito da política monetária, sob pena de agravar as condições futuras.
Comentários