Mais de metade dos portugueses tem vontade de comprar um carro elétrico

A eletrificação da indústria automóvel é uma das grandes tendências do momento, acelerada pela pandemia de Covid-19, e sustentada pela consciencialização global sobre as alterações climáticas. Na tentativa de assegurar um futuro ‘verde’ às novas gerações, os consumidores portugueses começam a ficar rendidos aos automóveis elétricos.

São já 61% os portugueses que admitem ter vontade de comprar um carro elétrico. Esta é a principal conclusão de um estudo conduzido pela Standvirtual, que revela ainda a maior predisposição dos portugueses em adquirirem um veículo elétrico novo (52%) ao invés de um usado (45%).

A eletrificação da indústria automóvel é uma das grandes tendências do momento, acelerada pela pandemia de Covid-19, e sustentada pela consciencialização global sobre as alterações climáticas. Na tentativa de assegurar um futuro ‘verde’ às novas gerações, os consumidores portugueses começam a ficar rendidos aos automóveis elétricos.

São precisamente estes factores que mais pesam entre os portugueses, com 71% dos inquiridos a mencionar a redução de emissões de carbono e 61% os baixos consumos (61%) como as principais vantagens indicadas na compra destes veículos. Os inquiridos destacam ainda a diminuição da poluição sonora (52%), os reduzidos custos de manutenção (34%) e a credibilidade dos modelos elétricos (18%).

Em relação à procura por carros elétricos, o estudo aponta que 22% pagaria entre 20 mil a 25 mil euros por um veículo elétrico. A quilometragem também é fator na hora de comprar, com o estudo a apurar que os 40 mil quilómetros são a fasquia até onde os consumidores portugueses estão dispostos a comprar.

Nuno Castel-branco, diretor-geral da Standvirtual afirma que “com o aumento da popularidade dos veículos elétricos, pretendemos informar os consumidores e facilitar esta transição. Apesar de existir predisposição para a mudança, ainda nos debatemos com receios como o custo inicial de aquisição, a ansiedade de autonomia, o tempo de vida da bateria ou a falta de infraestruturas e tempo de carregamento. Mas é necessário começarmos a desmistificar estes preconceitos e a mostrar a evolução”.

Por fim, a autonomia é outro dos fatores considerados “fundamentais” pelos consumidores portugueses na hora de comprar. A distância ideal a percorrer com um único carregamento é entre os 500 e os 700 km. Quanto ao tempo de carregamento de um modelo elétrico, a maioria dos consumidores tem uma noção correta do tempo necessário (30 minutos a 1h no caso do carregamento público e 4-12h no caso do privado). A Tesla é a que confere maior confiança aos consumidores ao nível dos carros elétricos, seguida pela Mercedes e pela BMW.

Recomendadas

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.

Região de Coimbra lança Academia Gastronómica para reforçar distinção europeia

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra vai promover, em 2023, um conjunto de iniciativas para reforçar o estatuto de Região Europeia de Gastronomia com que foi distinguida no biénio de 2021-2022.
Comentários