Mais uma greve: trabalhadores da Randstad nas comunicações param no Natal e fim de ano

Após a reunião de 22 de novembro a empresa de recursos humanos se ter recusado a elaborar uma escala de feriados de Natal e fim do ano, os trabalhadores em plenário decidiram entrar em greve, agendando para tal os dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro, 1 e 2 de janeiro.

Os trabalhadores da Randstad do setor das comunicações cumprem no domingo o primeiro de seis dias de greve, depois da empresa se ter recusado a elaborar uma escala de feriados de Natal e fim de ano.

“Esta greve abrange todos os trabalhadores da Randstad do setor das comunicações e telecomunicações independentemente do operador onde estão a trabalhar”, esclarece em comunicado a Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT).

Segundo o documento, depois de na reunião de 22 de novembro a empresa de recursos humanos se ter recusado a elaborar uma escala de feriados de Natal e fim do ano, os trabalhadores em plenário decidiram entrar em greve, agendando para tal os dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro, 01 e 02 de janeiro.

Os trabalhadores dizem estar determinados a lutar para conseguir os seus objetivos e continuar a reivindicar os seus direitos, lutando por aumentos salariais, retroativos do subsídio de alimentação a janeiro de 2017 e uniformização dos subsídios de alimentação e pequeno-almoço.

“A aplicação de um regulamento interno e a apresentação de um caderno reivindicativo para 2018 para todos os trabalhadores da Randstad vai ter que ser uma realidade”, refere o SNTCT.

Recomendadas

APAVT diz que é fundamental poder prorrogar pagamento de dívida contraída na pandemia

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) considera ser fundamental a possibilidade de prorrogar o pagamento do serviço da dívida contraída na pandemia, dado que os processos de recapitalização para as empresas não tiveram sucesso.

Governo dos Açores vai reconduzir atual presidente da SATA, Luís Rodrigues

O chefe do Governo dos Açores anunciou hoje que vai indigitar o atual presidente da SATA, Luís Rodrigues, para futuro presidente da holding, justificando a decisão com a importância da “estabilidade” associada à “competência” do responsável.

Oeiras cria fundo para ajudar comerciantes a recuperar dos estragos do mau-tempo

A Câmara de Oeiras vai criar um fundo, cujo valor será ainda determinado, para apoiar os comerciantes na sequência dos estragos provocados pelo mau tempo, adiantou hoje o presidente, acrescentando que a avaliação dos danos será feita na sexta-feira.
Comentários