Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.

O Grupo Manuel Champalimaud (GMC) e a Novares chegaram a acordo para a venda da unidade de plásticos decorativos e de interface para a indústria automóvel da Novares (Novares European Bezels & Clusters) ao grupo português que é também o maior acionista dos CTT.

O valor do negócio não foi avançado.

Em comunicado, o grupo Champalimaud diz que “a aquisição do negócio de plásticos decorativos e peças de interface (infotainment, instrument clusters e climate controls), que ainda está sujeita à aprovação da Autoridade da Concorrência, visa reforçar a posição do Grupo no mercado de componentes de plástico para a indústria automóvel, onde já opera através da GLN, em termos de capacidade tecnológica, inovação e capacidade produtiva”.

A GLN, do grupo Champalimaud, tem sede em Leiria e fábricas em Leiria e no México, dedica-se ao desenvolvimento e fabrico de moldes técnicos de alta precisão e  injeção de peças plásticas, sendo considerada uma referência na Europa e em fase de expansão da sua capacidade produtiva no México.

Segundo a nota, a unidade de plásticos decorativos para o interior de veículos automóveis da Novares em Portugal conta com duas fábricas, em Leiria e Vendas Novas, e um centro tecnológico e de desenvolvimento em Leiria, empregando mais de 600 colaboradores, com um volume de negócios anual de cerca de 50 milhões de euros e uma carteira de clientes nacionais e internacionais de primeira linha.

“O grupo francês avançou com esta venda porque decidiu focar-se no seu portfolio de produtos e soluções de design inovador mas mantém a sua presença em Portugal, através de uma fábrica em Arouca”, refere o comunicado.

Para Manuel Champalimaud, Presidente do Conselho de Administração, “com esta aquisição o Grupo Manuel Champalimaud reforça o compromisso  em Portugal e nos seus profissionais, reforçando a capacidade competitiva no sector da injeção de plásticos, posicionando-se também como um grupo inovador, com tecnologia de ponta, focalizada na satisfação das necessidades dos mercados Europeu e Norte-Americano”.

“Acredito que este negócio continuará a prosperar sob a liderança do Grupo Manuel Champalimaud e da sua subsidiária GLN”, afirma no comunicado o CEO da Novares, Pierre Boulet.

A Novares foi assessorada no negócio pela Sabadell Corporate & Investment Banking e pela Garrigues.

Já o Grupo Manuel Champalimaud foi assessorado no negócio pela Miranda & Associados, International Legal Advice.

Recomendadas

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.

Terminal de carga e granéis de Leixões bate recorde de toneladas em 2022

O terminal aponta como previsão “manter este ritmo de crescimento, tendo recentemente investido em novos equipamentos portuários e no aumento da sua capacidade de armazenagem, permitindo continuar a aumentar a sua capacidade de movimentação de cargas em terminal”, segundo o grupo ETE.

Grupo CaixaBank reforça participação na Sonae SGPS para 5%

Em comunicado ao mercado a Sonae SGPS deu conta que a Critéria Caixa a informou, esta terça-feira, que reforçou a participação acionista de 2,001% para 5,001%.
Comentários