Marcas low cost negoceiam com DECO desconto em combustíveis

A DECO está a negociar descontos em combustíveis com três dos quatro maiores operadores do mercado (BP, Cepsa e Repsol), depois de a Galp ter recusado juntar-se à iniciativa, onde também estão as ‘low cost’ e a distribuição. Tito Rodrigues, responsável pelas relações institucionais da DECO, disse à Lusa que já foram contactados “todos os […]

A DECO está a negociar descontos em combustíveis com três dos quatro maiores operadores do mercado (BP, Cepsa e Repsol), depois de a Galp ter recusado juntar-se à iniciativa, onde também estão as ‘low cost’ e a distribuição.

Tito Rodrigues, responsável pelas relações institucionais da DECO, disse à Lusa que já foram contactados “todos os principais operadores”, existindo duas empresas ‘low cost’ que se mostraram interessadas em aderir à iniciativa da associação, que conta com cerca de 483 mil consumidores.

“Neste momento, apenas a Galp disse que não pretendia participar. Os restantes ‘players’ ainda estão em negociação”, avançou, acrescentando que a marca de baixo custo Prio e a cadeia de distribuição Auchan também “mostraram vontade de ir a jogo”.

O porta-voz da DECO afirmou que “o objetivo é ter tudo preparado para no início de 2015 ajudar os consumidores a minimizar o aumento do preço dos combustíveis”, resultante do agravamento da contribuição de serviço rodoviário (CSR), previsto na proposta do Orçamento do Estado para 2015, e à taxa de carbono, contemplada na reforma da fiscalidade verde.

No final de outubro, a DECO lançou uma plataforma para os consumidores manifestarem o seu interesse em participar numa iniciativa que pretende negociar com os principais operadores um desconto direto, através de um cartão criado pela associação, que se demarca das demais campanhas existentes no mercado por “não ter custos” e dar desconto imediato, a qualquer dia da semana e tipo de pagamento.

O número de interessados em ter desconto em combustível era hoje de 483 mil, dos quais cerca de 390 mil são associados da DECO. Os restantes inscreveram-se em www.decomais.pt.

“Consideramos os 500 mil uma meta perfeitamente atingível”, acrescentou.

Na página da associação é recordado que no “mercado dos combustíveis, a partir dos seis cêntimos, prevalecem as restrições no acesso universal a descontos: há a obrigatoriedade de fazer compras num parceiro, de pagar com o cartão de crédito ou de abastecer apenas em determinado dia do mês, entre outras condições”.

Assim, o consumidor que se registar na plataforma até dia 30 de novembro vai ter direito a receber em casa o cartão DECO+ sem encargos, passando a poder usá-lo nos postos do operador (ou de vários) que resultar das negociações.

OJE/Lusa

Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,