Marcelo “alertou e bem” para possível “desaproveitamento terrível” do PRR (com áudio)

O presidente do PSD disse hoje que o Presidente da República “alertou bem” para o que pode vir a ser um “desaproveitamento terrível” das verbas do PRR, garantindo que o PSD vai “escrutinar e fiscalizar” a execução do plano.

O social-democrata Luís Montenegro foi hoje eleito 19.º presidente do PSD com 73% dos votos, vencendo as eleições diretas a Jorge Moreira de Silva, que alcançou apenas 27%, segundo os resultados provisórios anunciados pelo partido, na sede de campanha, em Espinho, 28 de maio de 2022. Segundo os resultados provisórios anunciados das eleições diretas, Luís Montenegro alcançou 73% dos votos e Jorge Moreira da Silva 27%, com a abstenção a rondar os 35%. MANUEL FERNANDO ARAUJO/LUSA

“Ainda ontem [sábado] o senhor Presidente da República alertava e, muito bem, para aquilo que pode vir a ser o desaproveitamento terrível das oportunidades de financiamento extraordinárias que temos à nossa disposição”, afirmou Luís Montenegro, a discursar na tomada de posse da Comissão Política Distrital de Viana do Castelo.

O líder do PSD, acusou o Governo do PS, que é “especialista em ‘powerpoint’s'”, de “nem sequer conseguir financiar-se a si próprio” com as verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

“No PRR, a famosa bazuca, de que agora pouco se fala, mas que também deu muitos ‘powerpoint’s’, muitas apresentações e muitas expectativas (…). Mais uma vez na sua grande vocação socialista, este Governo aproveitou este PRR para se financiar a si próprio. Como andou anos e anos com as cativações na administração pública, a não gastar no investimento público, agora aproveita o PRR e canaliza a maior parte do seu valor para financiar as suas próprias obras, os seus próprios investimentos, mas nem isso está a conseguir fazer”, disse.

Relacionadas

Presidente da República avisa ministra da Coesão que estará atento à taxa de execução dos fundos europeus

O presidente da República deixou um recado à ministra da Coesão Territorial ao dizer que quem aceita funções políticas tem dias felizes e dias infelizes. “Este é um dia super feliz, mas há dias super infelizes. E verdadeiramente super infeliz para si será o dia em que eu descubra que a taxa de execução dos fundos europeus não é aquela que eu acho que deve ser. Nesse caso não lhe perdoo. Espero que esse dia não chegue, mas estarei atento para o caso de chegar”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

PRR. Vieira da Silva anuncia que já foram pagos mais mil milhões de euros

“Desde ontem que ultrapassamos a barreira dos mil milhões de euros pagos em matéria do PRR”, anunciou a ministra da Presidência. Mariana Vieira da Silva está a ser ouvida no Parlamento, no âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2023.
Recomendadas

“Trocas de favores”, nepotismo e benefícios na política incomodam mais do que corrupção propriamente dita, revela estudo

O estudo da FFMS conclui que “uma parte significativa dos cidadãos parece aderir à máxima “rouba, mas faz”. Quanto às medidas autorregulatórias implementadas em Portugal, os avanços têm sido provocados por pressão exógena, isto é, em resposta a escândalos ou a advertências de organizações internacionais.

Remodelação no Governo. “É uma salada russa. É tapar buracos”, refere Marques Mendes

No seu habitual espaço de análise o comentador considera que o Executivo só pode queixar-se de si próprio sobre as demissões e polémicas que aconteceram nos oito meses de liderança com maioria absoluta. “Não pode culpar a oposição”, afirmou.

Iniciativa Liberal. Rui Rocha apresenta lista com “representação territorial alargada”

O candidato à liderança da Iniciativa Liberal Rui Rocha apresenta uma lista à comissão executiva com “representação territorial alargada” e novos pelouros, entre os quais os dedicados à política europeia e regional com vista à preparação das próximas eleições.
Comentários