Marcelo avisa que “é preciso manter a democracia viva e repensá-la constantemente”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu hoje que “é preciso manter a democracia viva e repensá-la constantemente” para evitar o aparecimento de respostas “fora do sistema e quase à margem”.

Em Braga, durante uma conferência inserida no ciclo “O Futuro já começou”, Marcelo apelou ao inconformismo dos jovens nessa luta pela democracia e sublinhou a importância do rejuvenescimento das instituições políticas.

“As democracias europeias estão a demorar muito tempo a encontrar soluções, e isso abre caminho a que surjam respostas fora do sistema e quase à margem da democracia”, referiu.

Para o Presidente, é preciso “dar o salto” no plano da organização política, para que a democracia não ceda.

“É preciso manter a democracia viva, repensá-la constantemente (…). É preciso revitalizar a democracia, a democracia tem de dar o salto”, reiterou.

Marcelo considerou que as instituições políticas “estão desajustadas de 60, 70 ou 80 por cento da sociedade”, pelo que apelou ao envolvimento dos jovens para mudar esta realidade.

“Há aqui um problema estrutural de renovação do sistema e dos protagonistas do sistema”, acrescentou, aludindo à pouca representação dos jovens na Assembleia da República e nas demais instituições políticas.

No final, Marcelo foi assistir, com as centenas de jovens que participaram na conferência, ao jogo de futebol entre Portugal e o Uruguai, a contar para o Campeonato do Mundo, que decorre no Qatar.

Recomendadas

Trabalhadores dos impostos criticam Autoridade da Concorrência

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) partilhou o alerta deixado pela Odem dos Contabilistas sobre os problemas no Portal da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), apontando o seu mau funcionamento.

Ministro da Saúde diz que o SNS registou em 2022 a maior atividade assistencial da sua história

O ministro da Saúde afirmou que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) desenvolveu em 2022 a “maior atividade assistencial da sua história, com os hospitais públicos a baterem o recorde de consultas médicas e cirurgias.

PSD quer SNS financiado em função dos resultados

O grupo parlamentar do PSD propôs que o financiamento do Serviço Nacional de Saúde e a valorização de todos os seus profissionais passe a ser feita com base nos resultados que beneficiam os utentes.
Comentários