Marcelo diz que é tempo de atualizar o SNS e oportunidade “não pode ser desperdiçada”

Discursando na cerimónia de Juramento de Hipócrates da região Sul, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que o Serviço Nacional de Saúde “é um bem inestimável”, pelo que se espera que “seja possível atualizar o SNS, porque ele tem uma longa história e rica história mas o mundo mudou, a Europa mudou e Portugal mudou”.

Rodrigo Antunes/Lusa

O Presidente da República defendeu hoje que existe uma “oportunidade única” para atualizar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) que “não pode ser desperdiçada”, considerando que é necessário “ajustá-lo à nova realidade”.

Discursando na cerimónia de Juramento de Hipócrates da região Sul, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que o Serviço Nacional de Saúde “é um bem inestimável”, pelo que se espera que “seja possível atualizar o SNS, porque ele tem uma longa história e rica história mas o mundo mudou, a Europa mudou e Portugal mudou”.

“E é preciso ajustá-lo à nova realidade e há aqui uma oportunidade única, única, que não foi possível durante a pandemia, que antes da pandemia foi sendo parcialmente encarada, que é olhar para esse SNS e perceber que este é o tempo de proceder a esse ajustamento em recursos humanos, financeiros, logísticos e técnicos, em organização, em gestão, em ensaio do novo modelo de gestão em que quem define política, define política, quem tem que gerir de acordo com competências, olhando para o terreno, deve agir com espaço de manobra, separando uma coisa de outra”, salientou.

Considerando que a “oportunidade está criada”, o chefe de Estado afirmou que espera que “não seja desperdiçada”.

“Foi tão difícil chegar ao ponto de, superada a pandemia, em conversão em endemia, haver o mínimo de condições para fazer essa separação e proporcionar meios e recursos para aquilo que deve ser uma nova fase de gestão do SNS, que não pode ser desperdiçada” pelos “milhares e milhares e milhares que são profissionais de saúde e estão em atividade”.

“É o que devemos desejar todos nós, independentemente de sermos de um setor, de um quadrante, de uma orientação, estarmos no poder ou fora do poder, que é a coisa mais transitória do mundo. Não é transitório é verdadeiramente encontrar uma fórmula que olhe para essas prioridades, a vida e a saúde, e recrie as condições que foram criadas noutros tempos e foram sendo reformuladas durante décadas, mas que hoje enfrentam desafios como nunca houve cá dentro e lá fora, noutras sociedades, e são desafios cruciais”, apontou.

Recomendadas

Regime remuneratório dos médicos das urgências alargado até 28 de fevereiro

O Governo aprovou a prorrogação do regime remuneratório aplicável ao trabalho suplementar dos médicos nos serviços de urgência. Medida excecional vigora até ao final deste mês.

ElliQ, o robô de companhia para idosos

O ElliQ é um robô de companhia, controlado por voz, destinado a adultos com mais de 65 anos, sobretudo os que vivem sozinhos. 

Deputados aprovam pedidos de baixas até três dias através do SNS24

Os deputados aprovaram esta quinta-feira uma proposta do PS que possibilita que as baixas de até três dias possam ser passadas pelo serviço digital do Serviço Nacional de Saúde (SNS24), mediante autodeclaração de doença, com limite de duas por ano.
Comentários