Marcelo “não deveria ter falado” com José Ornelas, considera Ventura

O presidente do Chega, André Ventura, considerou hoje que o Presidente da República “não deveria ter falado” com o bispo José Ornelas sobre questões relacionadas com a denúncia de alegado encobrimento de abusos sexuais.

Rodrigo Antunes/Lusa

“É evidente que não deveria até porque, tanto quanto eu sei, segundo li, D. José Ornelas está a ser investigado por encobrimento do crime. Portanto, não deveria ter falado, isso é evidente”, respondeu o presidente do Chega em conferência de imprensa na Assembleia da República, em Lisboa, quando questionado sobre a atuação de Marcelo Rebelo de Sousa neste caso.

André Ventura, que ressalvou estar a falar a título pessoal, considerou, no entanto, que o Presidente da República e o primeiro-ministro fizeram “o procedimento correto” ao encaminhar as denúncias ao Ministério Público, indicando que faria o mesmo.

O líder do Chega considerou também que deve existir de debate em torno de uma eventual mudança na lei para que “haja um dever de denúncia por parte de quem tem conhecimento destes casos”, que “não existe neste momento”.

A Presidência da República informou hoje que “enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR), no dia 06 de setembro, uma denúncia envolvendo, nomeadamente, D. José Ornelas”, sem especificar em que consiste essa denúncia.

Numa nota hoje publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, lê-se que, “a 24 de setembro, o Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] confirmou a D. José Ornelas esse envio, já depois de este ter sido contactado pela comunicação social sobre este assunto”.

No sábado, o Ministério Público confirmou estar a investigar o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, por alegado encobrimento de abusos sexuais, referindo ter recebido sobre esta matéria uma “participação provinda da Presidência da República”.

De acordo com a nota hoje publicada, “a Presidência da República enviou à Procuradoria-Geral da República, no dia 06 de setembro, uma denúncia envolvendo, nomeadamente, D. José Ornelas” e, depois dessa data, “foi contactada por vários órgãos de comunicação social, para confirmar tal envio, o que naturalmente confirmou”.

José Ornelas, bispo da diocese de Leiria-Fátima e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, assumiu em entrevista à CNN Portugal, na segunda-feira, que foram abafados casos de abusos sexuais de menores na Igreja Católica.

Recomendadas

Prisão preventiva para 31 dos 35 arguidos suspeitos de tráfico de pessoas no Alentejo

Carlos Alexandre determinou a prisão preventiva para 31 arguidos, oito dos quais com possibilidade de ficar em prisão domiciliária com pulseira eletrónica, caso o relatório do DGRSP seja favorável.

Primeiro-ministro reafirma prioridade do Governo no combate à violência doméstica (com áudio)

O primeiro-ministro, António Costa, reafirmou a “prioridade do Governo” no combate à violência doméstica, sublinhando o “reforço de verbas” no OE 2023. A GNR lança esta sexta-feira uma campanha de combate ao flagelo.

PremiumCâmara de Caminha paga 20 mil euros para parecer sobre decisão já tomada

Negócio para centro de exposições, que não existe, já custou ao erário público cerca de 400 mil euros: adiantamento de 369 mil e agora mais 20 mil para parecer após rescisão contratual.
Comentários