Premium“Marcelo nem sempre ajudou e algumas vezes desajudou na pandemia”

Eurodeputado doPCP promete “tomar partido” pelas micro, pequenas e médias empresas, apelando a “outro protagonismo público” em sectores-chave. E ataca grandes grupos que ‘asfixiam’ a economia.

O eurodeputado João Ferreira é o candidato a Belém apoiado pelo PCP. Em entrevista ao Jornal Económico, acusa Marcelo Rebelo de Sousa de ter demonstrado “uma filiação e engajamento político e partidário”, que levaram a que nem sempre fosse fiel à Constituição. Se for eleito, compromete-se a atuar para garantir a valorização do trabalho e dos salários, o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o combate à “asfixia” dos grandes grupos económicos e financeiros, que “sufoca o desenvolvimento e a própria democracia”.

Uma sondagem indica que um em cada cinco eleitores do PCP irá votar em Marcelo Rebelo de Sousa nas presidenciais. Se isso vier a acontecer, é uma derrota pessoal sua ou do partido?
Pretendo com esta candidatura afirmar aquilo que entendo dever ser o exercício de poderes do Presidente da República na situação que o país enfrenta. Quero que tenha vencimento na sociedade portuguesa a visão, valores e princípios desta candidatura e espero que isso se traduza no máximo de adesões. Tenho acolhido apoios em quadrantes diversos, até em partidos diferentes do meu, o que valorizo e denota uma capacidade de alargamento da candidatura para lá do que, para alguns, seriam as suas fronteiras. A sondagem que refere demonstra outras coisas mais.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

OE2023: Iniciativa Liberal vai insistir no desagravamento de vários impostos

O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse hoje, em Coimbra, que o partido vai apresentar cerca de uma dúzia de propostas de alteração ao Orçamento de Estado para 2023, que visam o desagravamento de vários impostos.

OE2023: “É insano pretender que a política orçamental seja a salvadora de todos”, diz coordenador da UTAO

Em entrevista à Lusa, Rui Nuno Baleiras, coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), defende que a política orçamental não pode anular o efeito da política monetária, sob pena de agravar as condições futuras.
Comentários