Marcelo promove cuidados de saúde primários

Marcelo Rebelo de Sousa esteve ontem no centro de saúde de Sete Rios, com o ministro da Saúde, a promover os cuidados de saúde primários.

Marcelo Rebelo de Sousa visitou ontem, acompanhado pelo ministro da Saúde, o Centro de Saúde de Sete Rios, em Lisboa, para promover o alargamento do horário em várias destas unidades em todo o país, uma das últimas medidas para fazer face ao aumento dos casos de gripe no nosso país.

Ontem, por volta das 19.30 horas, o Presidente da Republica entrou no Centro de Saúde, e com o seu passo determinado, cumprimentou os utentes e foi fazendo os seus diagnósticos. “Gripe? Não? Deve ser virose, que é quando não se sabe bem o que é”, disse a uma senhora. “Tens ar de febre. Vê lá. O meu neto também está a chocar uma…”, comentou com um miúdo, ao colo do pai. Medo de apanhar gripe? “Eu não. Se não não andava a beijar tantas senhoras”, respondeu, Marcelo sorridente, que pouco depois viria a confessar que ainda não tinha tomado a vacina contra a gripe. “Ainda não tive tempo, de facto. Mas vou fazê-lo logo no início do ano. Está prometido”, garantiu.

O Presidente da República realçou o “empenho do Estado” e do sistema de saúde na resposta às necessidades dos doentes, apelando também às pessoas para que recorram aos centros de saúde, em vez dos hospitais, em caso de gripe.

“As estruturas estão a fazer o impossível para responder às necessidades”, assinalou, enaltecendo “a dedicação total” de médicos e enfermeiros. Marcelo Rebelo de Sousa disse, ainda, que a visita ao Centro de Saúde de Sete Rios serviu para “mostrar o empenho do Estado, como um todo”, nesta época do ano, na resolução dos problemas de saúde das pessoas, que, em caso de gripe, “deveriam acorrer mais aos centros de saúde”, e não aos hospitais, e “reagir com serenidade” aos sintomas.

Segundo o porta-voz do gabinete de Adalberto Campos Fernandes, estão neste momento abertos até, pelo menos às 10 da noite (há alguns até às 23.00 e até à meia noite), mais de 200 centros de saúde em todo o país. O governante garantiu que “nunca o Serviço nacional de Saúde teve um reforço tão grande” e apelou a que as pessoas se dirijam aos centros de saúde, “que têm todas as condições” e não sobrecarreguem as urgências hospitalares.

Confrontado pelos jornalistas sobre a morte confirmada de oito pessoas com gripe, o ministro da Saúde lamentou e explicou que se tratam de valores “dentro do normal”, tendo em conta a idade e maior vulnerabilidade destas pessoas. Adalberto Fernandes vai continua a apoiar e a promover os centros de saúde, campanha que vai contar com Marcelo, segundo confirmou o próprio Presidente.

Recomendadas

Embaixador russo em Lisboa diz que anexações são “direito consagrado na Carta da ONU”

O embaixador russo em Lisboa, Mikhail Kamynin, transmitiu hoje ao Governo português que a realização de referendos nas regiões ucranianas anexadas pela Rússia corresponde a “um direito consagrado na Carta das Nações Unidas”.

Entregas ao domicílio da IKEA serão totalmente elétricas até 2025, diz CEO

A meta para 2030 é ser uma empresa positiva para o clima, isto é, reduzir mais gases de efeito estufa do que aqueles que são emitidos por toda a sua cadeia de valor.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários