Marcelo Rebelo de Sousa: Associação das Vítimas “vai fazer história no país”

O presidente da República vincou que a associação “fez história, faz história e vai fazer história neste país”, considerando que acompanhar o percurso daquela instituição é também “compreender um pouco a história” dos últimos seis meses.

O Presidente da República afirmou hoje que a Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) “vai fazer história no país”, por ser uma instituição que não fica presa à memória e que se vira para o futuro.

Na inauguração da sede da AVIPG, situada numa antiga escola primária da aldeia da Figueira, Marcelo Rebelo de Sousa vincou que a associação “fez história, faz história e vai fazer história neste país”, considerando que acompanhar o percurso daquela instituição é também “compreender um pouco a história” dos últimos seis meses.

Para o Presidente da República, a associação apresenta um conceito que “é muito novo” em Portugal, assumindo três dimensões: a memória, o futuro e o desenvolvimento económico, social e cultural do território.

“Estas três dimensões juntas são muito raras”, observou, sublinhando o facto de a AVIPG ser “uma associação virada para o futuro e com um horizonte que não tem limite”.

No entanto, notou, essa diferença da associação foi por vezes difícil de compreender pela sociedade portuguesa.

“Havia quem me perguntasse: “Mas afinal como era? Aquela iniciativa não se esgota naquilo que é justo relativamente às perdas que existiram, na ideia de se sensibilizar para o que se passou, mas quer mais. Até onde é que vão?” Estamos numa sociedade que está habituada a estas diferenças. É uma realidade nova”, constatou.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, a associação “é diferente e é bom que seja exemplar no sentido de abrir um caminho diferente”.

Recomendadas

“Metade das pessoas que precisam de apoio psicológico não têm meios para o conseguir”, alerta bastonário da Ordem dos Psicólogos

Começa esta quarta-feira em Aveiro o quinto congresso da Ordem, evento que servirá também para reforçar bandeiras “antigas”, como por exemplo a questão do reforço no número de psicólogos no SNS, situação que a nova gestão executiva terá que priorizar se houver vontade política, de acordo com a opinião do bastonário em entrevista ao JE.

Pais com “maior dificuldade” em pagar as despesas escolares dos filhos, alerta Deco

Estudo da Deco Proteste revela que os pais estão com maior dificuldade em pagar as despesas escolares dos filhos este ano. Mais de metade dos agregados familiares afirmam estar com mais dificuldades em fazer face aos custos com a escola dos filhos. E 42% conseguem pagar a maioria das despesas, mas não todas. Já quase três em cada dez confessam ser impossível enfrentar alguns gastos.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.
Comentários