PremiumMarcelo Rebelo de Sousa decidirá candidatar-se a um segundo mandato?

Se a tradição ainda for o que é, não só Marcelo Rebelo de Sousa irá recandidatar-se ao segundo mandato como acabará por ser reeleito em janeiro de 2021, tal como sucedeu, com maior ou menor facilidade, a Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva

Se a tradição ainda for o que é, não só Marcelo Rebelo de Sousa irá recandidatar-se ao segundo mandato como acabará por ser reeleito em janeiro de 2021, tal como sucedeu, com maior ou menor facilidade, a Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva. E no caso do atual Chefe de Estado, como indica a sondagem da Aximage que o Jornal Económico publicou na edição de 13 de dezembro, os portugueses deverão conferir-lhe uma percentagem de votos histórica, acima dos 70,31% que Mário Soares obteve em 1991.

Sendo a reeleição do “Presidente dos afetos” uma mera formalidade, tão unânime Marceloé em todos os quadrantes políticos, a única dúvida residia na vontade do próprio. Terá, no entanto, sido desfeita pelo cateterismo a que foi submetido a 30 de outubro, no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, no qual foram desobstruídas calcificações que poderiam motivar problemas cardíacos no futuro.

O estado de saúde fora avançado pelo próprio Marcelo Rebelo de Sousa como factor decisivo na decisão da recandidatura, que deve ser anunciada no final do próximo verão, sem que se espere oposição relevante à esquerda e à direita – embora a “janela de oportunidade” possa ser aproveitada por André Ventura para ganhar protagonismo, tal como é possível que surja um candidato liberal e que Jerónimo de Sousa (ou eventualmente Francisco Louçã) possam avançar.

Marcelo Rebelo de Sousa será o Presidente da República mais velho a recandidatar-se no regime democrático, tendo 72 anos em Janeiro de 2021, pelo que chegará ao final do segundo mandato apenas mais novo do que Américo Tomás e Óscar Carmona, dois militares que estiveram no Palácio de Belém durante o Estado Novo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAfegãos em Portugal, um ano de esperança

“As minhas expectativas aqui são aquelas que não pude ter do meu país por causa da guerra. Quero estar onde possa estudar, escolher a minha carreira, viver em paz”, diz Farkhunda. Histórias de refugiados que encontraram abrigo no nosso país.

PremiumXeque Tamim bin Hamad Al Thani contra o xeque-mate ocidental

A Europa é sempre apanhada de surpresa. No Qatar, como em Israel, como na Jugoslávia, como na Alemanha de 1939, como na Crimeia. E o pior é que é mesmo apanhada de surpresa.

PremiumVariedades portuguesas de azeite estão em risco de desaparecer

A campanha de apanha da azeitona de 2022 está quase a chegar ao fim. É certo que, apesar de a qualidade do azeite se ter mantido em níveis de excelência, registaram-se quebras significativas no volume de produção face à safra do ano precedente. Mas não é essa a maior dor de cabeça a apoquentar os produtores do sector que querem manter a sustentabilidade e a biodiversidade para preservar o futuro.
Comentários