Marcelo Rebelo de Sousa diz a embaixador do Irão para tratarem bem as mulheres

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje ao embaixador do Irão em Portugal que o regime iraniano devia “tratar com cuidado as mulheres, as jovens estudantes”, e que estão em causa os direitos humanos.

O chefe de Estado deixou esta mensagem durante uma visita ao Bazar Diplomático, no Centro de Congressos de Lisboa, iniciativa de solidariedade realizada anualmente, que nesta edição não contou com bancas da Federação Russa nem da Ucrânia.

Ao passar pela banca da República Islâmica do Irão, Marcelo Rebelo de Sousa conversou com o embaixador Morteza Damanpak Jami e ao despedir-se disse-lhe: “Deviam tratar com cuidado as mulheres, as jovens estudantes, as mulheres, porque é bom para vocês e bom para o mundo”.

É uma questão de “direitos humanos”, assinalou o Presidente da República, que falava em inglês, com jornalistas à sua volta.

À saída do Centro de Congressos de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa confirmou ter dito ao embaixador do Irão “que olhasse para a forma como as autoridades iranianas estão a lidar com o papel da mulher e a intervenção cívica das jovens mulheres no Irão, defendendo os seus direitos”.

“É uma questão de direitos humanos. Ele ouviu. Eu estava lá e eu aproveitei para lhe dizer”, acrescentou.

Nesta visita ao Bazar Diplomático, Marcelo Rebelo de Sousa teve uma conversa animada com o embaixador da República Popular da China em Portugal, Zhao Bentang, a quem sugeriu: “Apareça um dia lá no Palácio de Belém, em Lisboa, está bem? Para me explicar o Congresso do Partido [Comunista da China (PCC)], para eu perceber”.

O chefe de Estado passou pelas bancas de venda de produtos típicos de cada país, demorando-se mais tempo na de França. Na de Cabo Verde informou: “Lá estarei no Mindelo no dia 10 de dezembro, para uma homenagem a Amílcar Cabral, na universidade”.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu um convite para visitar o Sultanato de Omã e respondeu que “gostava muito, muito” de lá ir.

Aos representantes de Cuba, perguntou “quando vem o Presidente” Miguel Díaz-Canel a Portugal, enquanto no espaço da Argentina reiterou vontade de realizar a sua visita a este país, que tem sido adiada: “Sim, sim, vamos fazê-lo, tem de ser”.

“O Brasil é todo o máximo, todo, todo, todo, o mar, o céu, a terra, tudo, a gente”, exclamou o Presidente da República, no ‘stand’ brasileiro, onde recebeu o livro “História do Brasil através da caricatura”.

O Bazar Diplomático é promovido pela Associação das Famílias dos Diplomatas Portugueses, conta com o apoio da Fundação AIP e com o patrocínio do chefe de Estado, que desta vez se fez acompanhar em parte da visita pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas.

Recomendadas

República Srpska: novo governo quer aproximação à Rússia e à China

Parte integrante da Bósnia-Herzegovina, a república sérvia-bósnia, novamente liderada por Milorad Dodik, continua a ter um comportamento desalinhado com o resto da federação.

O Mundial de todas as contradições em análise. Veja o “Atlantic Connection”

Com apresentação de Giovanna Oliveira e José Carlos Lourinho, o Atlantic Connection é um programa produzido em parceria pela BM&C News e pelo Jornal Económico, que oferece uma perspectiva em português sobre os grandes temas da atualidade global.

PremiumEstados-membros testam fim dos acordos por unanimidade

A maioria qualificada pode substituir a unanimidade. Portugal, segundo a Secretaria de Estado liderada por Tiago Antunes diz que Portugal está aberto ao debate, mas não em relação a todas as matérias. E traça as linhas vermelhas.
Comentários