Maré de notas no Rio de Janeiro gera loucura entre banhistas e pescadores

No Brasil, centenas de pessoas foram a banhos para ficar com o dinheiro que surgiu no mar. A origem das notas permanece um mistério.

No Rio de Janeiro, o fim-de-semana não podia ter terminado da melhor forma para diversos banhistas e pescadores que se encontravam na praia da Urca. Inesperadamente surgiram no mar notas de 50 e 100 reais (cerca de 13 e 27 euros, respetivamente), a boiar junto à zona de rebentação, este domingo.

Ao se depararem com o aparecimento das notas intactas, que são as de maior valor no território brasileiro, as pessoas que estavam no areal ou no mar começaram a recolher dinheiro. A notícia foi avançada pelo “Correio da Manhã”, que apresenta testemunhos sobre o episódio.

Segundo o correspondente do CM no local, houve pessoas que conseguiram retirar da água mais de mil reais (285 euros), o que corresponde a um número superior ao salário mínimo no Brasil, cujo valor é de 251 euros.

Os pescadores da Urca acabaram por ficar com mais notas, porque entraram rapidamente no mar a nado ou nos seus barcos e recolheram mais notas longe da multidão que se foi juntando na praia.

Apesar da grande euforia dos banhistas e pescadores, não há relatos de intervenção das autoridades brasileiras. Até hoje, ainda não foram encontradas explicações para o insólito, levando muita gente a acreditar que se trata de dinheiro caído de algum navio ou aeronave.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa fazem greve de 24 horas em 12 de outubro

“Vamos fazer uma greve no dia 12, de 24 horas”, indicou Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático

Um mês depois de o NOVO ter noticiado que o Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático, a Polícia Judiciária entrou na sede da Presidência do Conselho de Ministros para fazer buscas. O alvo principal da operação é o próprio secretário-geral, David Xavier, suspeito de corrupção na aquisição de sistemas informáticos para o Estado.
Comentários