Margarida Couto reeleita presidente da GRACE – Empresas Responsáveis

A assembleia geral da associação vintenária elegeu os órgãos sociais para o triénio 2021-2023 e manteve a sócia da Vieira de Almeida na presidência.

A advogada Margarida Couto, sócia da Vieira de Almeida (VdA), foi reeleita presidente da direção da associação GRACE – Empresas Responsáveis, na Assembleia Geral (AG) que deu ‘luz verde’ aos órgãos sociais para o triénio 2021-2023. A CEO da Fundação Vasco Vieira de Almeida irá, assim, cumprir o o segundo mandato no cargo que assumiu em 2018.

A diretora de cidadania empresarial da CUF, Mariana Ribeiro Ferreira manteve-se igualmente na vice-presidência, transitando do mandato anterior, e junta-se ainda a este posto o diretor geral da Danone Portugal, Ludovic Reysset.

“É com redobrado sentido de responsabilidade que assumo a presidência da GRACE para um segundo mandato. A pandemia trouxe-nos o maior desafio dos últimos 75 anos, num momento em que já vivíamos fora dos limites do Planeta, aumentando a responsabilidade das empresas em assegurar um futuro sustentável. É objetivo da GRACE imprimir sentido de urgência na transformação que terá de ocorrer no ecossistema empresarial, pois acreditamos que só com as empresas será possível alcançar um paradigma de sustentabilidade e prosperidade para todos”, explica Margarida Couto.

A direção da entidade é ainda composta por Patrícia Faro Antunes (Accenture), Emília Roseiro (grupo Bel), Anabela Silva (BP Portugal), Filipa Carmona (Caixa Geral de Depósitos), Rita Monteiro (EDP), Marta Castelão Costa (grupo Pestana Pousadas de Portugal), Pedro Amaral Frazão (grupo Sousa), Bárbara Vasconcelos (Imprensa Nacional Casa da Moeda), Teresa Cardoso Menezes (Informa D&B), Fernando Leite (Lipor), Paula Miranda (Omnova) e Nathalie Ballan (Sair da Casca).

Enquanto membros suplementes da direção da GRACE ficaram Ana Fontoura (Fidelidade), Suzana Rocha Pereira (Lift) e Sandro Resende (M de Manicómio). Já a mesa da Assembleia Geral é presidida pela Fundação Manuel António da Mota, representada por Rui Pedroto, enquanto a presidência do Conselho Fiscal foi assumida pela empresa AON Portugal, representada por Pedro Penalva.

A AG comemorou também os 20 anos da associação e lembrou o percurso vintenário ao serviço de empresas responsáveis, contando hoje com 183 associados. “Foram 20 anos de grande crescimento e aprendizagem, com o apoio de todos os associados que, ao longo destas duas décadas, cumpriram o propósito de promover a responsabilidade corporativa em Portugal. Os desafios que nos esperam são enormes, mas estou convicta de que esta caminhada pela sustentabilidade atingirá o seu propósito”, sublinhou ainda a presidente.

Recomendadas

Filipe de Vasconcelos Fernandes recebe Prémio António Barbosa de Melo de Estudos Parlamentares 2022 (com áudio)

Prémio é entregue esta segunda-feira, 5 de dezembro, na Universidade de Coimbra, a Filipe de Vasconcelos Fernandes, professor na Faculdade de Direito de Lisboa e advogado na VdA.

PremiumMudar modelo de negócio é uma opção para enfrentar “a maré de incertezas”

Empresas que não entendam o cenário macroeconómico enfrentam um futuro sombrio, alerta o CEO da DFK International. Consultoras “devem somar serviços”, diz em entrevista ao JE.

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.
Comentários