Mariana Vieira da Silva critica “amor” do PSD à administração pública na oposição

A ministra da Presidência disse esta terça-feira saber que o “amor” do PSD à administração pública é mais visível quando o partido está na bancada, do que quando está no Governo, assegurando que não “navega à vista”.

TIAGO PETINGA/LUSA

“Já sabemos que o amor que o PSD, normalmente, tem à administração pública é sempre mais visível quando se senta nessa bancada do que quando está deste lado da sala”, afirmou Mariana Vieira da Silva, em resposta aos deputados, na comissão parlamentar de Administração Pública, Ordenamento do Território e Poder Local.

Para a governante, o PSD tende a apontar “gorduras e excessos” neste setor, utilizando expressões que indicam que existem demasiados funcionários públicos ou que estes trabalham pouco.

Mariana Vieira da Silva respondia ao grupo parlamentar do PSD, que acusou o Governo de “navegar à vista” em matéria de Administração Pública.

A ministra da Presidência considerou ser importante que, na Assembleia da República, se afastem discursos que tendem a dividir os trabalhadores dos setores público e privado.

Por outro lado, criticou a postura de “cortar a eito”, que disse ter sido adotada pelo PSD quando foi governo, refutando ainda as criticas de que, desde 2015, o executivo tem “navegado à vista”.

Conforme sublinhou a ministra, o Governo definiu “faseadamente um conjunto de prioridades e objetivos” nesta matéria, que têm vindo a ser cumpridos.

“Tem sido um caminho percorrido de forma responsável e faseada, cumprindo os objetivos que estavam no nosso compromisso”, vincou.

Recomendadas

IL propõe lei para alterar o código do imposto sobre os veículos

A IL propõe que a taxa intermédia de ISV de 25% seja aplicável a todos os veículos híbridos com matrícula de qualquer Estado-membro da UE, sendo tributados à data da introdução no mercado europeu e não da data em que são introduzidos no território nacional

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira, 3 de fevereiro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta sexta-feira.
TAP

“Ilegal”. Oposição espera que seja esclarecida legalidade do bónus à CEO da TAP

PSD, Bloco de Esquerda e Chega questionaram esta sexta-feira a legalidade do bónus que está previsto pagar à Christine Ourmières-Widener. O JE faz manchete com a notícia que o valor de até três milhões de euros não será devido.
Comentários