Marido da ministra é sócio de condenado por corrupção

O marido de Ana Abrunhosa é sócio do empresário chinês Zhu Xiaodong, sentenciado a três anos de prisão (com pena suspensa) por corrupção no caso dos “Vistos Gold”.

Uma das empresas financiadas, a THVM – Thermalvet, pelo marido da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, tem como sócio um empresário chinês, Zhu Xiaodong, sentenciado a três anos de prisão (com pena suspensa) por corrupção no caso dos “Vistos Gold”, avançou o jornal digital “Página Um”.

A notícia sucede uma outra do Observador que dá conta que o marido da ministra da Coesão Territorial, o empresário António Trigueiros de Aragão, beneficiou de fundos comunitários depois de Ana Abrunhosa lhes deter tutela no Governo.

Na sexta-feira, o Chega considerou que Ana Abrunhosa “não tem condições” de continuar no cargo de ministra da Coesão devido à atribuição de fundos comunitários. “Já tínhamos dúvidas legais, já tínhamos certezas éticas, agora o Chega tem também certezas políticas. A senhora ministra da Coesão não tem condições de continuar a ser ministra”, defendeu André Ventura.

Por sua vez, o primeiro ministro, quando confrontado com a notícia dos financiamentos comunitários ao marido da ministra, António Costa respondeu contando que há cerca de um ano a ministra da Coesão lhe colocou o “problema de poder haver uma situação de conflito de interesses” e o primeiro-ministro recomendou o pedido de “parecer à secretária-geral da Presidência do Conselho de Ministros”.

Relacionadas

Marcelo defende que em casos que envolvem familiares é preciso apurar circunstâncias

“Primeiro, há que apurar quem é que tomou decisões, como é que tomou decisões e se há alguém com responsabilidades que beneficiou alguém próximo seu por parentesco ou por outro tipo de ligação”, referiu Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas em Sausalito, na Califórnia.
Recomendadas

Eutanásia. PSD justifica referendo com “caminho de não retorno” em matéria de “interesse nacional”

O projeto de resolução do PSD de referendo sobre a despenalização da eutanásia, hoje revelado, defende a consulta popular por considerar que está em causa “uma questão de relevante interesse nacional” que implica “um caminho de não retorno”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Eutanásia: PSD com disciplina de voto a favor do referendo, mas serão admitidas exceções

“Temos no PSD uma posição que é uma tradição e que vamos manter viva, de relativamente à questão substantiva, haver liberdade total, e na questão política haver uma orientação que corresponde ao exercício da disciplina de voto”, afirmou o presidente do PSD, Luís Montenegro, em conferência de imprensa, depois de anunciar que a bancada irá propor um referendo sobre a despenalização da morte medicamente assistida.
Comentários