Mário Campolargo anuncia novo cartão de cidadão “mais seguro e contactless”

O secretário de Estado da Digitalização e Modernização Administrativa, Mário Campolargo, diz que Portugal vai ter um novo cartão de cidadão. “Vai estar no pelotão da frente” do melhor que se faz internacionalmente, em termos de segurança, frisa o responsável, em entrevista.

Portugal vai ter um novo cartão de cidadão mais seguro, contactless e com um novo design. O anúncio foi feito este sábado pelo secretário de Estado da Digitalização e Modernização Administrativa, Mário Campolargo, que, em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, revela que o novo cartão será lançado a meio deste ano. “Vai estar no pelotão da frente” do melhor que se faz internacionalmente, em termos de segurança, frisa o responsável.

De acordo com Mário Campolargo, a substituição poderá ser feita à medida que os cartões atuais forem caducando. Em entrevista, o secretário de Estado sublinha ainda que a identificação desmaterializada caminha para a criação de uma carteira de identidade digital comum a todos os países da União Europeia.

Num outro tema, isto é, quanto ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o responsável revela que, do investimento previsto de 3,7 mil milhões de euros para o digital, já foram executados 587 milhões de euros. Já sobre as alterações à tarifa social da internet, Mário Campolargo reconhece que a adesão é baixa, mas confirma que já recebeu um estudo da ANACOM sobre o assunto. Admite, assim, mudanças para alargar o universo de potenciais beneficiários.

Recomendadas

BE vai centrar “boa parte” da sua atividade no problema transversal da habitação

“Tenho ouvido alguns argumentos sobre a constitucionalidade desta medida que partem de um pressuposto errado que é de que o BE discrimina em função da nacionalidade. Não. O que o BE faz é garantir que quem trabalha em Portugal possa ter acesso à habitação”, explicou.

Catarina Martins contra “Estado pessoa de bem” apenas para a “elite do privilégio”

“Não posso deixar de assinalar a frase muito infeliz do ministro João Galamba ao dizer que, como o Estado é uma pessoa de bem, teria de manter os prémios milionários na TAP”, criticou, em declarações aos jornalistas, Catarina Martins.

Convenção Nacional do BE marcada para 27 e 28 de maio em Lisboa

No rescaldo dos maus resultados eleitorais das últimas legislativas, nas quais o BE deixou de ser a terceira força política, perdeu metade dos votos e ficou reduzido a cinco deputados, a oposição interna chegou a pedir a antecipação da convenção nacional, mas esta vai ter o seu calendário habitual, ou seja, realiza-se com dois anos de intervalo.
Comentários