Mário Centeno diz que se deve discutir o perdão da dívida grega

O ministro das Finanças referiu, em entrevista ao ‘Bild’, que as autoridades europeias devem iniciar discussões para reduzir a elevada dívida de Atenas.

Cristina Bernardo

O ministro das Finanças, Mário Centeno, defende que a União Europeia deve iniciar discussões sobre o alívio da dívida grega, mesmo sem o apoio do Fundo Monetário Internacional (FMI). Em entrevista do jornal alemão Bild, Mário Centeno afirma que “temos de começar esta discussão”.

O responsável pela pasta das Finanças diz, esta terça-feira, em declarações reproduzidas pela agência Reuters, que a discussão da dívida pública deverá ser um dos temas em cima da mesa no próximo encontro dos ministros das Finanças, no próximo mês de dezembro.

Na opinião do homólogo alemão, Wolfgang Schäuble, essa opção não se coloca, tendo em conta que acredita que um alívio da dívida à Grécia irá enfraquecer os esforços para implementar futuras reformas.

“A união monetária europeia tem instituições muito fortes. Conseguimos lidar com a maioria dos problemas sozinhos”, realça Mário Centeno ao matutino. Para Mário Centeno, a Grécia necessita de luz verde sobre uma nova assistência, mesmo sem a participação do FMI e afirma que as instituições europeias são “fortes” e “capazes” de lidar com a maioria dos problemas na região sozinhas.

Na perspetiva do governante português, o Pacto de Estabilidade e Crescimento deveria ser revisto e substituído. Sobre as regras da dívida que estão em vigor, Mário Centeno indicou que têm “muito espaço para melhorar”.

Recorde-se que, no passado dia 8 de novembro, o ministro das Finanças esclareceu que no caso português a “reestruturação da dívida não está e não vai estar em cima da mesa”, ao que o presidente do Eurogrupo corroborou com a explicação de que o tema “não foi discutido nem irá ser discutido”.

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.
Comentários