Mário Centeno é a personalidade do ano para a imprensa internacional

Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças português contribuiu para a promoção da imagem do país no estrangeiro, realça a Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal.

A Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal (AIEP) escolheu o ministro das Finanças, Mário Centeno, como personalidade do ano.

“Os correspondentes estrangeiros atribuíram o prémio ao ministro das Finanças português, que se destacou na imprensa internacional depois da sua chegada no início do ano à presidência do Eurogrupo”, revelou a AIEP, em comunicado.

Os correspondentes em Portugal explicam que “o prémio personalidade do ano/Martha de la Cal tem como objetivo distinguir a pessoa ou a instituição que mais contribuiu para promover a imagem do país no estrangeiro durante o ano”.

Esta distinção foi criada em 1990 e é atribuída todos os anos por 60 jornalistas estrangeiros acreditados e inscritos na associação.

“Para os correspondentes, Mário Centeno, enquanto presidente do Eurogrupo, um cargo internacional de relevo, com uma forte projeção internacional, que colocou o nome de Portugal em muitas reportagens na imprensa estrangeira, enquadra-se perfeitamente nos critérios do prémio”, refere o presidente da AIEP, Levi Fernandes.

O 29.° prémio da AIEP será agora entregue numa cerimónia no início de 2019.

Em anos anteriores, o galardão foi atribuído a personalidades como o escritor José Saramago, a fadista Mariza, os capitães de abril, o antigo Presidente Mário Soares, o futebolista Cristiano Ronaldo e o secretário-geral da ONU, António Guterres, recordou a AIEP.

No ano passado venceram os irmãos Luísa e Salvador Sobral, vencedor do Festival da Eurovisão.

O prémio, denominado Martha de La Cal, é uma homenagem a esta jornalista norte-americana, que trabalhou durante vários anos em Portugal para a revista Time e que foi uma das fundadoras da Associação.

Recomendadas

OE2023: Margem orçamental para função pública está esgotada

Na primeira reunião, realizada na segunda-feira, o Governo indicou que a valorização da administração pública iria custar 1.200 milhões de euros, incluindo aumentos salariais, progressões e promoções e a revisão da tabela remuneratória.

PremiumBdP revê inflação em alta, mas pico já deverá ter passado

Banco central projeta taxa de 7,8%, a mais elevada desde 1993 nos preços, levando a perdas reais nos salários, que crescem a uma taxa mais baixa. Juros em alta não devem criar terramoto na dívida.

PremiumSalário mínimo da Função Pública vai subir 57 euros

A base remuneratória da Administração Pública vai subir 8% em janeiro, o que significa que esses trabalhadores não perderão poder de compra. Já a maioria dos demais funcionários públicos vai ter aumentos abaixo da inflação.
Comentários