Mário Centeno enquanto líder do Eurogrupo: “Serão dois anos bastante intensos”

Em entrevista exclusiva à CNBC, o ministro das Finanças disse que é hora de “colher os benefícios” dos esforços feitos pelos portugueses durante a crise económica.

Cristina Bernardo

Em entrevista exclusiva à CNBC, Mário Centeno, que foi eleito presidente do Eurogrupo no dia 4 de dezembro, disse que duas das decisões que irão marcar o seu mandato enquanto líder dessa reunião mensal e informal de ministros serão a conclusão da união bancária da zona euro e a reestruturação da dívida da Grécia.

“Precisamos de completar a união bancária (…). Completar a união bancária significa coisas ligeiramente diferentes para cada membro do Eurogrupo. Temos que tentar concentrar-nos no entendimento comum que certamente temos – e nós temo-lo – isso existe”, garantiu.

Segundo explicou ao canal norte-americano, em Lisboa, “serão dois anos bastante intensos”. O governante frisou ainda que é hora de “colher os benefícios” dos esforços feitos pelos portugueses durante a crise económica.

“Não é realmente uma mudança em ser pró ou contra a austeridade, é entender que a resposta à oferta que recebemos das reformas agora precisa de ser combinada, com alguma resposta à procura e a Europa está numa posição muito boa para fazê-lo”, argumentou, em declarações à CNBC, divulgadas esta quinta-feira de manhã.

O ministro das Finanças português foi eleito como novo presidente do Eurogrupo para um mandato de dois anos e meio, entre janeiro de 2018 e julho de 2020, enquanto o mandato da atual Comissão Europeia expira em finais de 2019 e vai iniciar funções no próximo dia 13 de janeiro de 2018.

Relacionadas

‘Super-ministro’ pode tirar o lugar a Centeno

Ainda nem chegou realmente ao cargo e Mário Centeno já pode ter como destino não terminar o mandato como presidente do Eurogrupo ou ver a posição transformar-se noutra diferente.

Centeno: reduzir a dívida é fundamental

Ministro das Finanças garante, em entrevista ao Público, que a execução do Orçamento do Estado de 2018 está assegurada e que a sua eleição para o Eurogrupo não vai implicar mexidas na orgânica da sua equipa ministerial.

Obrigado Mário

Portugal certificou a sua estratégia e mostrou o caminho que a Europa devia seguir. A Europa de Merkel rendeu-se.
Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários