Mário Machado regressa a Portugal após entregar “comida e bens” na Ucrânia

“Quis vir embora. Tinha cumprido a sua missão”, afirmou José Manuel Castro, advogado de Mário Machado ao “Expresso”.

Lusa

Mário Machado regressa a Portugal sexta-feira, 25 de março, por vontade própria, segundo confirmou o seu advogado ao “Expresso“. A missão do português em território ucraniano, segundo o seu advogado, foi entregar “comida e bens”.

“Quis vir embora. Tinha cumprido a sua missão”, afirmou José Manuel Castro, advogado de Mário Machado ao “Expresso”. Mário Machado esteve uma semana na Ucrânia, tendo nesse período visto suspensa, pelo Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), a medida de coação de apresentações quinzenais numa esquadra de polícia.

O TCIC justificou a suspensão perante “a situação humanitária vivida na Ucrânia e as finalidades invocadas pelo arguido para a sua pretensão, o arguido poderá deixar de cumprir a referida medida de coação enquanto estiver ausente no estrangeiro”. Assim que regressar a Portugal, Mário Machado volta a ter de cumprir as apresentações quinzenais numa esquadra, confirmou José Manuel Castro.

Relacionadas

Respostas Rápidas. Mário Machado vai combater na Ucrânia?

Perante as intenções reveladas por Mário Machado, no que designou como “Operação Ucrânia1143”, foram levantadas várias questões sobre as suas intenções, a decisão do tribunal, a reação do Ministério Publico e a posição do governo ucraniano.
Recomendadas

Países bálticos reclamam proibição de vistos a russos

Os líderes da Letónia e da Estónia insistiram na necessidade de endurecer restrições de viagem aos russos, incluindo a proibição de vistos turísticos.

S&P baixa notação da Ucrânia para incumprimento “selectivo”

A agência baixou esta sexta-feira a notação de crédito da Ucrânia para “SD”, ou incumprimento “seletivo”, o último nível antes do incumprimento de pagamentos, devido à moratória sobre a sua dívida externa obtida na quarta-feira.

Ucrânia: Federação Russa deve cumprir compromisso sobre cereais, diz Josep Borrell

O alto representante da União Europeia para os Relações Externas, Josep Borrell, instou esta sexta-feira a Federação Russa a respeitar os seus compromissos para permitir o trânsito pelo Mar Negro com cereal ucraniano “para que chegue a quem deles necessita”.
Comentários