Marques Mendes diz que António Domingues se sentiu ofendido com a lei aprovada

Entre sexta-feira e hoje domingo houve várias tentativas no sentido de ver se António Domingues recuava na decisão.

PSD

Luís Marques Mendes disse hoje na SIC que António Domingues sentiu-se ofendido com a lei “ad hominem”. Isto é, que era uma lei contra ele.

A votação na sexta-feira no Parlamento levou à demissão, explica o comentador. A manifestação da vontade de sair foi na quinta-feira e formalizou no dia a seguir, explicou Marques Mendes.

“Na quinta-feira foi a primeira votação da lei, e depois foi repetida a votação a pedido do PS”. Esse pedido teve em vista tentar que o Bloco de Esquerda mudasse o sentido de voto, de modo a que António Domingues pudesse ficar.

António Domingues tinha decidido ficar na CGD mesmo que tivesse que apresentar a declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional, eventualmente com a saída de alguns administradores. Ia enviar a sua argumentação ao TC e iria pedir sigilo das declarações. Mas a aprovação da lei que obriga a administração da CGD a apresentar a declaração, independentemente da decisão do TC, começou por ser aprovada na quinta-feira durante o debate da especialidade do Orçamento, e depois confirmada da sexta-feira, e foi entendida como um xeque-mate por António Domingues.

O Governo tentou durante o fim de semana fazer com que António Domingues mudasse de ideias, sem sucesso, revela o comentador. Isto explica o facto de só hoje ter sido comunicado.

“Este braço de ferro tornou-se insuportável”, disse Marques Mendes que de caminho criticou o Governo por ter aceite as condições de os administradores não terem de apresentar as declarações ao Tribunal Constitucional.

Marques Mendes disse ainda que a nova administração da CGD tem de ser profissional.

“O plano não cai agora por esta equipe ter caído agora”, disse sobre a recapitalização da Caixa.

Sobre o balanço de um ano de Governo disse que António Costa é o abono de família do Executivo.

O balanço é positivo, “mas tem um senão que é a economia”, disse Marques Mendes, que lembra o crescimento anémico.

 

Recomendadas

Eduardo Cabrita é candidato a diretor executivo da Frontex

O ex-ministro da Administração Interna apresentou a sua candidatura individual a este cargo em julho, tendo sido uma das 78 inscrições internacionais à posição máxima neste órgão europeu, avançou a rádio “Renascença” e confirmou o jornal online “Observador”.

Cascais ajuda famílias a combater a inflação com 44 milhões

A autarquia liderada por Carlos Carreiras aprovou por unanimidade um pacote de 70 medidas, entre as quais bolsas para creches, no caso das crianças com 3 a 36 meses, bem como bolsas para estudantes de licenciaturas e mestrados.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira, 6 de outubro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quinta-feira.
Comentários