Marques Mendes diz que proposta dos chineses para o Novo Banco é a mais forte

O comentador disse que no entanto “a qualidade do acionista tem de ser avaliada pelo regulador”, referindo-se ao BCE.

Flickr PSD

“Neste momento estão a decorrer negociações com os vários candidatos”  diz Luis Marques Mendes sobre o Novo Banco no seu habitual comentário semanal na SIC.

“Na prática BCP e BPI são dois concorrentes que estão fora da corrida. As suas propostas não vão contar para a decisão final.”, diz o comentador.

“Segundo estão os fundos (Apollo/Centerbridge e Lone Star) que não terão propostas muito competitivas, para vencer”, revela Marques Mendes.

Por fim, diz o comentador, “a proposta dos chineses que é uma proposta diferente, parece ser a mais forte e a mais competitiva”, referindo-se à proposta do China Minsheng Financial, que se apresenta como cornerstone investor.

“Mas as negociações estão ainda a decorrer, a decisão será tomada até ao fim do ano”, refere lembrando que a qualidade do acionista tem de ser avaliada pelo regulador.

A China Minsheng Financial é uma sociedade de serviços financeiros constituída há  dois anos e com sede em Hong Kong.

Luís Marques Mendes falou também de Paulo Macedo no novo banco, dizendo que considera ser “uma boa escolha”. “Se tivesse sido a primeira escolha tinha-se ganho tempo”, diz.

Marques Mendes diz que Paulo Macedo “tem mais mundo e mais capacidade de liderança que António Domingues”. O comentador lembra que Paulo Macedo tem experiência de liderança  (Ministério da saúde e Autoridade Tributária) e que António Domingues sempre foi número dois.

“Paulo Macedo está mais habituado a gerir situações difíceis e complexas”, diz Marques Mendes. “Todos os sítios por onde passa de um modo geral faz bem”, acrescenta.

Sobre António Domingues e a sua gestão da CGD o comentador não se alargou no comentário citando apenas o provérbio popular “o que nasce torto tarde ou nunca se endireita”.

Recomendadas

GamaLife compra unidade da Zurich em Itália

A GamaLife concluiu a aquisição de uma unidade de negócio da Zurich em Itália, incluindo uma carteira de apólices em vigor de seguro de vida e de pensões.

Moody’s diz que bancos mais globais vão ter lucros sólidos em 2023

“Os bancos globais estarão protegidos de um aumento da morosidade do crédito em 2023 através do aumento das taxas de juro e de balanços sólidos, e as perspectivas para o sector permanecem estáveis”, disse hoje a Moody’s.

Mais de 1.700 contactos de clientes bancários à rede de apoio RACE até setembro

A Rede de Apoio ao Cliente Bancário (RACE) recebeu, entre janeiro e setembro, 1.783 contactos de devedores com dificuldades em pagar créditos, registando desde julho um aumento dos processos PARI ou PERSI que acompanha, revelou a Direção-Geral do Consumidor.
Comentários