Mastercard desenvolve ferramenta para detetar fraudes antes de acontecerem

Aí está a nova ferramenta desenvolvida pela Mastercard para combater mais eficazmente fraudes relacionadas com violações de dados das contas. Como no filme Minority Report, detetam fraudes em preparação na dark web antes de elas acontecerem. A ferramenta já foi testada.

Andrew Harrer/Bloomberg

A Mastercard anuncia hoje o lançamento do Early Detection System. Este novo serviço fornece aos emissores de cartões de crédito um sistema de alerta avançado inédito, para cartões ou contas com que tenham um maior risco de utilização fraudulenta, baseado na exposição a incidentes de segurança ou violações de dados. Essa ferramenta já foi testada, segundo a apresentação que foi feita no Algarve na semana passada.

A Mastercard é assim a debutante nos instrumentos que antecipam fraudes antes de elas se confirmarem. Como no filme Minority Report, de Steven Spielberg. Como é que fazem isso? Desenvolveram ferramentas que lhes permite entrar na dark web e detetar quais as passwords que estão em vias de ser utilizadas para fraudes, e avisam os clientes para as mudarem antes do ataque. Isso inclui uma hierarquia de probabilidade em função da capacidade financeira do cartão cuja password foi apanhada na dark web.

“O Early Detection System utiliza informações da rede Mastercard, recursos preditivos e uma combinação de fontes de informação internas e externas, para determinar se um cartão ou conta está em risco, e envia um alerta para o emissor com uma quantificação do nível de risco. O emissor, por sua vez, utiliza o nível de risco para priorizar com maior precisão as ações a serem tomadas, desde monitorizar de mais perto algumas transações a tomar a iniciativa de emitir um novo cartão de crédito e enviar ao cliente”, diz a Mastercard.

“Este serviço ajuda os emissores a agir de forma mais rápida e com maior precisão, impedindo potenciais fraudes antes que estas ocorram”, explica Ajay Bhalla, presidente da Global Enterprise Risk Security da Mastercard.

“Os nossos emissores [de cartões] podem agora detectar proactivamente as actividades fraudulentas resultantes de dados que foram anteriormente roubados ou pirateados, o que possibilitará reduzir os custos e manter a melhor experiência possível para o titular do cartão”, disse ainda o gestor da Mastercard.

O Early Detection System detecta todos os tipos de fraude, em todos os canais de transações, e está disponível para todos os emissores a nível mundial. O sistema identifica desde transacções criminosas de dados de contas, até à identificação de cartões que estão a ser testados antes de serem utilizados para fraude, a dados de contas que aparentam estar em risco, sem que existam provas suficientes para considerar que os Dados de Conta estão comprometidos. Os emissores têm, assim, à disposição um conjunto mais amplo de alertas para contas em risco, que antecipa em 6 a 18 meses os alertas que até agora existiam.

O negócio do roubo de dados é constantemente noticiado e os usurpadores, além de serem cada vez mais aptos, são também mais rápidos. Só no mês passado foram relatadas 143 milhões de identidades comprometidas num único furto de dados, bastando apenas 9 minutos, para serem utilizados depois de publicados na dark web. “Sabendo que algumas contas comprometidas são usadas de forma fraudulenta, e que cada segundo conta, a Mastercard desenvolveu o Early Detection System para ajudar as instituições financeiras a prevenir ataques mais sérios e darem uma resposta mais rápida”, notícia a empresa norte-americana de cartões de crédito e meios de pagamentos mundial, cotada na bolsa de Nova Iorque.

Na apresentação da nova ferramenta no Algarve, a Mastercard revelou que em 2016 foram roubados 4,2 mil milhões de dados.

As ações da Mastercard na NYSE estão a subir 0,28% no dia do anúncio mundial desta nova ferramenta.

Recomendadas

BCE desce requisito de capital da CGD e mantém no BCP e Novobanco

O banco central liderado por Christine Lagarde reduziu o requisito de capital (pilar 2) de 2% para 1,90% no banco estatal, em 2023. No BCP e no Novobanco, manteve-se nos 2,5% e nos 3%, respetivamente.

Lucros do Société Générale recuam com aumento das provisões para malparado

Os lucros do terceiro maior banco francês recuaram mais de 60% em 2022, em comparação com o ano anterior, num período em que reforçou as provisões para responder ao aumento do crédito malparado.

Juiz recusa novas condições de fiança para o fundador da FTX

O juiz Lewis Kaplan recusou a nova proposta dos advogados para as condições de fiança de Sam Bankman-Fried.
Comentários