Mastercard traz o seu Innovation Forum a Lisboa

A Mastercard vai trazer a Lisboa, no próximo dia 25 de Setembro, a 3ª edição do Mastercard Innovation Forum (MIF). Dedicada ao tema “Empowering you in the digital economy”, o MIF dará especial atenção à IoT (Internet of Things) e de como esta tecnologia já está presente no nosso dia-a-dia, quase sem se dar por isso.

A Mastercard irá apresentar no MIF um conjunto de reflexões sobre como podemos tirar o máximo partido das oportunidades proporcionadas pelas mais recentes transformações e disrupções tecnológicas, de como a IoT pode melhorar a experiência do consumidor através dos pagamentos invisíveis, dos wearables e das smart-homes e, ainda, das soluções Mastercard Digital Payments que tornam este novo ecossistema mais Seguro, mais Simples e mais fácil de integrar.

Durante esta 3ª edição, a Mastercard vai fazer a apresentação e demonstração das mais recentes Soluções Tecnológicas que estão em desenvolvimento na empresa ao nível da Segurança e dos Pagamentos Digitais, mas também da mobilidade, da inteligência artificial, da realidade virtual e do comércio.

O MIF é uma iniciativa da Mastercard que nasceu na Europa e que, fruto do sucesso, já acontece em todas as geografias onde a empresa está presente. É um momento no ano em que a Mastercard escolhe um tema e desenvolve esse tema para a comunidade, em que se ouvem especialistas e se discutem tendências e, naturalmente, onde a Mastercard também apresenta a sua visão sobre como será o futuro dos pagamentos, com a demonstração de protótipos de soluções que estão em produção.

Este ano, durante o MIF, será dada especial atenção à IoT (Internet of Things – Internet das Coisas), talvez dos tópicos que já está muito presente no dia-a-dia e que quase não se dá por ele. Em causa a integração de soluções de pagamentos em soluções que à partida não teriam sido pensadas para isso. Por exemplo, soluções desenvolvidas para automóveis, mas também para wearables, através de oradores de duas marcas de referência, a Volvo e a FitBit.

Além destes aspectos relativos à simplicidade de utilização, há um outro tema que é incontornável. O da segurança, um assunto que assume toda a relevância e que, além de estar desde sempre no ADN das soluções da Mastercard, se tronou, com a adoção da PSD2, um pilar da regulamentação europeia.

Paulo Raposo, Country Manager da Mastercard em Portugal, sublinha que «a adopção do IoT é uma realidade que se vai estender a outras áreas do nosso dia-a-dia. O tema é que, sem pôr em causa a segurança, temos de conseguir transformar esta adoção num conceito expedito e intuitivo, rápido e fácil. Isto tem sido, desde sempre, a missão da Mastercard, tornar aquilo a que chamamos o costumer journey numa experiência seamless

Na edição deste ano do MIF, que vai acontecer no dia 25 de setembro, vai estar, também, presente uma importante Startup portuguesa, a DefinedCrowd, que passou pelo programa Start Path da Mastercard.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Mastercard

Recomendadas

Marcelo “pessimista” teme efeitos de “discurso muito dramático” do BCE

Perante uma plateia de empresários portugueses em São Francisco, na noite de segunda-feira na Califórnia, hoje de madrugada em Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa assumiu, porém, também ele “uma análise pessimista” da conjuntura económica portuguesa nos próximos tempos, “por causa do mundo”.

Admitidas 13 candidaturas ao concurso público internacional do SIRESP

Para a SIRESP SA, o “número significativo de candidatos qualificados é demonstrativo de que se encontram asseguradas condições de concorrência adequadas entre os potenciais interessados do setor de mercado relevante e de que o concurso poderá vir a consubstanciar-se numa mais-valia económica e tecnológica para o interesse público, que o Estado visa prosseguir com a aquisição desses serviços”.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

Destaque do dia para a Rússia, que vai publicar os dados relativos à taxa de desemprego e outros indicadores macroeconómicos, numa altura em que o esforço bélico e o prolongamento das sanções começam a afundar a economia do país.
Comentários