Mau tempo faz 1.977 ocorrências em Portugal, das quais 913 em Lisboa

Em conferência de imprensa esta manhã em Carnaxide (Lisboa), da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) para fazer o ponto da situação sobre o mau tempo em Portugal, André Fernandes, referiu que os dados que indicou são “provisórios”, porque ainda há cerca de “200 ocorrências em aberto”.

Glenn Carstens-Peters on Unsplash

O mau tempo registado em Portugal na última noite provocou um total de 1.977 ocorrências, destacando-se o distrito de Lisboa com 913, anunciou hoje Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Em conferência de imprensa esta manhã em Carnaxide (Lisboa), da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) para fazer o ponto da situação sobre o mau tempo em Portugal, André Fernandes, referiu que os dados que indicou são “provisórios”, porque ainda há cerca de “200 ocorrências em aberto”.

Nos municípios mais afetados”, temos 12 no total, especificamente na região da Grande Lisboa, quer na margem esquerda, quer na margem direita do Tejo, ou seja, distrito de Lisboa e distrito de Setúbal”, disse.

“Seixal com 17 ocorrências, Mafra com 20, Alenquer com 24, Vila Franca de Xira com 32, Cascais com 56, Odivelas com 61 ocorrências, Almada com 71, Loures com 77, Oeiras com 79, Amadora com 103, Sintra com 157 e em destaque Lisboa com 334 ocorrências, o que faz um total global, a nível nacional, de 1.977 ocorrências desde o início da atual situação meteorológica adversa. O distrito de Lisboa teve 913 ocorrências no total”, disse André Fernandes, comandante Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Maioritariamente, as ocorrências são inundações em via urbana e inundações de habitações, segundo o comandante.

“Houve um total de meios envolvidos de 4.247 operacionais dos diferentes agentes de Proteção Civil, com uma grande percentagem dos corpos de bombeiros e um total de 998 meios terrestres”, indicou.

O mau tempo registado na Grande Lisboa provocou 27 desalojados – nove em Odivelas, seis na Amadora e 12 em Loures – que estão instaladas em zonas de apoio à população.

Recomendadas

Castro Marim é mais uma vez Autarquia + Familiarmente Responsável

O Município liderado por Francisco Amaral, que foco um muito particular na educação e na saúde, prepara-se para avançar brevemente com um programa de financiamento para próteses dentárias.

BPI financia tecnologia que promove autonomia de pessoas com paralisia cerebral

App, acessível por smartphone, tablet ou computador, permite aos residentes emitir um pedido de assistência que assume a forma de alerta enviado aos colaboradores da instituição. Em 2022 foram lançados 4.590 pedidos de assistência.

“A educação não é serviço mínimo”. CGTP-IN e Bloco acusam Governo de pôr em causa direito à greve

Segundo a CGTP-IN, liderada por Isabel Camarinha, a decisão de impor serviços mínimos nas escolas, ontem decidida pelo Tribunal Arbitral, “é inédita” no nosso país e procura abrir um precedente para “pôr em causa o direito à greve”.
Comentários