Mau tempo: restabelecida circulação ferroviária na Linha do Norte

A circulação de comboios de longo curso entre Porto e Lisboa foi retomada ao princípio da tarde de hoje, mas vai continuar condicionada.

Foto cedida

“Na sequência do restabelecimento das condições de circulação na linha do Norte, verificado pelas 12h35, condicionada à utilização de uma única via, com limitação de velocidade de 30 km/h no troço afetado pelas inundações e recurso a cantonamento telefónico entre Ameal – Sul e Soure, a CP – Comboios de Portugal vai retomar a circulação de comboios de Longo Curso entre Porto e Lisboa”, afirma a empresa em comunicado.

A CP afirma que “realizará todas as ligações possíveis” no contexto das limitações existentes, sendo que os primeiros comboios, com partidas previstas pelas 14:00, são os comboios Intercidades Coimbra-B – Lisboa Santa Apolónia; Alfa Pendular Lisboa Santa Apolónia – Braga; Intercidades Braga – Lisboa Santa Apolónia.

O comunicado da CP surge depois de a Infraestruturas de Portugal ter avançado que, com a descida do nível de água, havia condições para restabelecer a circulação dos comboios na Linha do Norte, ainda que com limitações, aguardando-se informações da CP sobre o retomar da operação.

Segundo a gestora da rede ferroviária, “devido ao abaixamento do nível da água foi possível restabelecer a circulação de comboios entre Ameal Sul e Alfarelos”, na Linha do Norte, que faz a ligação entre Porto e Lisboa.

Contudo, a circulação terá de acontecer com limitações, processando-se em ambos os sentidos através de uma via e com limitação de velocidade de 30 quilómetros por hora entre os quilómetros 200 e 198.

A circulação dos comboios de longo curso (serviços Intercidades e Alfa Pendular) da Linha do Norte, que liga Lisboa ao Porto, esteve suspensa devido à subida do nível das águas da Bacia do Mondego que submergiu o troço entre Alfarelos e Ameal Sul.

Recomendadas
médicos

Médicos portugueses com remuneração real mais baixa em 2020 do que em 2010, diz OCDE

Segundo o documento, em Portugal, que tem uma média de 4,5 clínicos por mil habitantes, a redução ocorreu entre 2010 e 2012 e, desde então, a remuneração dos médicos aumentou, mas manteve-se mais baixa em 2020 do que em 2010 em termos reais.

ONG dá “voto de desconfiança” a comissão de acompanhamento em obstétrica

O Observatório de Violência Obstétrica (OVO) deu hoje um “voto de desconfiança” à Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia, Obstetrícia e Bloco de Partos, tendo criticado a sua composição.

Susana Coroado: “Há uma tolerância dos portugueses para com o conceito de ‘rouba mas faz'”

Políticos escondidos atrás da lei sem conseguir construir pontes de confiança com os cidadãos e eleitores com um alto grau de tolerância ao conceito de “rouba mas faz”. Susana Coroado, uma das coordenadoras do estudo “Ética e integridade na política”, da Fundação Francisco Manuel dos Santos, explica nesta “Fast Talk” as principais conclusões apuradas de inquéritos a políticos e eleitores.
Comentários