Médico que denunciou morte de Ihor Homeniuk despedido do Instituto Nacional de Medicina Legal

De acordo com o “Correio da Manhã”, que faz manchete com este tema este domingo, este médico legista desempenhava autópsias no Hospital de Santa Maria e terá sido Carlos Durão a contactar a Polícia Judiciária (PJ) em março deste ano, a levantar a suspeita de que Ihor Homeniuk teria sido vítima de homicídio.

Carlos Durão, o médico legista que denunciou o homicídio do ucraniano Ihor Homeniuk nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), foi dispensado pelo Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), informação avançada pelo “Correio da Manhã” este domingo.

De acordo com o diário, que faz manchete com este tema este domingo, este médico legista desempenhava autópsias no Hospital de Santa Maria e terá sido Carlos Durão a contactar a Polícia Judiciária (PJ) em março deste ano, a levantar a suspeita de que Ihor Homeniuk teria sido vítima de homicídio.

Escreve o “Correio da Manhã” que a PJ estará também a investigar alegadas pressões a que o médico terá sido sujeito, já que, de acordo com o diário, este terá sido “chamado” à atenção devido à rapidez com que elaborou o relatório.

A suspeita de homicídio em março de um cidadão ucraniano por elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa chocou o país, a acusação surgiu célere, mas só gerou um “tsunami” político em novembro.

A morte de Ihor Homeniuk, em 12 de março, num caso que envolve suspeitas de tortura e homicídio por inspetores do SEF, deixou o Estado português envergonhado junto da União Europeia, mas também perante os seus cidadãos, abalando as estruturas daquele serviço.

No plano político, as críticas da oposição ao Governo chegaram em novembro, sobretudo depois de se saber que a viúva de Ihor Homeniuk nem sequer tinha recebido condolências do executivo e do Presidente da República e que foi ela, inclusivamente, a pagar a transladação do corpo do marido.

 

Relacionadas

Caso “Ihor”: “Tsunami” político poderá provocar reforma do SEF

A morte de Ihor Homeniuk, em 12 de março, num caso que envolve suspeitas de tortura e homicídio por inspetores do SEF, deixou o Estado português envergonhado junto da União Europeia, mas também perante os seus cidadãos, abalando as estruturas daquele serviço.

SEF: Renovação automática de autorizações de residência para cerca de 37 mil estrangeiros

O SEF explica que nesta terceira fase, que se enquadra no âmbito da simplificação de procedimentos, este será o número de cidadãos estrangeiros abrangidos, com “garantia do cumprimento das regras de segurança e mitigação das consequências que resultaram da situação de emergência sanitária”.

Ihor: Governo alarga inquérito ao SEF no seguimento de novas denúncias de violência

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou o alargamento do inquérito às denúncias de alegada violência e maus tratos nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa, foi hoje anunciado.
Recomendadas

Ivo Rosa admite que desistia da candidatura à Relação se soubesse da acusação no processo disciplinar

O magistrado está convencido de que estava “absolutamente inocente” em relação aos factos invocados na ação do órgão de gestão e disciplina dos juízes e reiterou que “o único desfecho seria o arquivamento do processo disciplinar”.

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

“Caso não sejam implementadas medidas urgentes para assegurar a sustentabilidade da cadeia de produção dos medicamentos genéricos e biossimilares, é o acesso dos cidadãos à saúde que está comprometido”, adiantou a presidente da APOGEN.

“Vamos ter um momento de viragem do que é o SNS”

Há uma espécie de CEO no Serviço Nacional de Saúde. Com problemas identificados e a evidência de que a envolvente só vai piorar, a Associação Comercial do Porto (ACP) quis deixar alguns conselhos a Fernando Araújo.
Comentários