Medidas do OE 2020 “deveriam ser mais ambiciosas em matéria fiscal”, defende CTP

A proposta de OE será discutida na generalidade, nos próximos dias 9 e 10, e até lá, a CTP espera ser ouvida para poder especificar as preocupações e perceber qual a margem para a introdução de medidas fiscais de incentivo ao Turismo.

Cristina Bernardo

“As medidas inscritas (no OE 2020) deveriam ser mais ambiciosas em matéria fiscal e refletir uma maior aposta na competitividade das empresas, condição essencial para o crescimento da economia”, considera, numa primeira análise geral ao Orçamento do Estado para 2020, a Confederação do Turismo de Portugal (CTP).

Como nota positiva, a CTP destaca o excedente orçamental de 0,2% do PIB, o primeiro excedente da era democrática, que permitirá ao país responder aos compromissos dos credores internacionais e dar um sinal positivo aos investidores estrangeiros. “Sendo a captação de investimento uma das principais fragilidades da nossa economia, esta é sem dúvida uma boa notícia para o país”, reforça Francisco Calheiros, presidente da CTP.

No que se refere à carga fiscal sobre as empresas, a CTP defende que as propostas ao nível do IRC e deduções fiscais não garantem o aumento da competitividade das empresas e do país. “Neste ponto, era urgente a redução da taxa de IRC, superior, por exemplo, à nossa vizinha Espanha”, assegura.

No entanto, no que se refere ao Turismo, a CTP lamenta que tenha ficado de fora do OE 2020 a descida do IVA do golfe, a possibilidade de dedutibilidade do IVA no MICE, bem como a eliminação da elevada burocracia e carga fiscal do sector do rent-a-car, apenas para citar alguns exemplos de medidas que a CTP propôs ao Governo e aos vários partidos com assento na Assembleia da República.

“O aumento das deduções fiscais por cada filho em sede de IRS e a criação de um novo complemento creche são, para a CTP, medidas insuficientes para responder ao deficit demográfico, que é um problema grave do nosso país. O Governo deveria ter ido mais longe”, afirma ainda Francisco Calheiros.

A CTP lamenta também que o Governo não tenha libertado verbas, apesar da folga orçamental, “para avançar para uma verdadeira Reforma do Estado”, conclui o responsável.

Recomendadas

Continental Engineering Services quer contratar 200 pessoas e duplicar efetivos até final de 2023

A subsidiária do Grupo Continental, que fornece serviços de engenharia às indústrias, abre as suas portas na cidade Invicta ao primeiro ‘OPEN DAY’ no próximo dia 29 de setembro para um primeiro contacto com jovens candidatos.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Banca europeia vai beneficiar da receita com juros, mas esta será consumida pelo aumento das imparidades para crédito

O relatório conclui que taxas de juros crescentes trazem margem financeira para os bancos europeus, mas custos e imparidades mais altos compensarão os benefícios. Nesta amostra  de 34 maiores bancos europeus não estão incluídos bancos portugueses e há três espanhóis (Santander, BBVA e CaixaBank).
Comentários