Medidas orçamentais de apoio nos países do euro ascendem a 200 mil milhões

As medidas orçamentais adotadas pelos países da zona euro para apoiar os cidadãos a enfrentar a crise energética já ascendem a 200 mil milhões de euros, causando “desafios” aos 19 Estados-membros, disse hoje o presidente do Eurogrupo.

Copyright: European Union

As medidas orçamentais adotadas pelos países da zona euro para apoiar os cidadãos a enfrentar a crise energética já ascendem a 200 mil milhões de euros, causando “desafios” aos 19 Estados-membros, disse hoje o presidente do Eurogrupo.

“Através do trabalho da Comissão, fizemos um balanço das medidas e analisámos o seu impacto à medida que as medidas foram sendo implementadas para manter os nossos cidadãos quentes durante o inverno, [pelo que], de acordo com as estimativas da Comissão, os governos da zona euro gastaram até agora coletivamente cerca de um quarto [dos seus orçamentos] no apoio à energia durante o ano”, declarou Paschal Donohoe.

Falando em conferência de imprensa no final da reunião dos ministros das Finanças do euro, em Bruxelas, o presidente deste fórum informal precisou estarem em causa “cerca de 200 mil milhões de euros”.

“Os ministros reconheceram os desafios dos apoios significativos e a necessidade de uma gestão eficaz entre a redução da inflação, ao mesmo tempo que apoiam tanto as famílias vulneráveis, como também a competitividade internacional da zona euro”, apontou Paschal Donohoe.

De acordo com o presidente do Eurogrupo, tais desafios são “uma questão-chave para a combinação global de políticas e para as perspetivas orçamentais para o próximo ano”, nomeadamente sobre “o que acontece se as medidas forem prorrogadas até à primavera e para além dessa altura”.

“Portanto, este é um momento muito importante para a política orçamental”, destacou Paschal Donohoe, referindo que este tema estará em cima da mesa no Eurogrupo do próximo mês, quando haverá uma discussão sobre os planos orçamentais para 2023.

“Esta discussão será uma oportunidade para reforçar ainda mais a coordenação das políticas para alcançar os objetivos de estabilidade […], de orientação adequada dos nossos apoios e também para incentivar a transição energética”, adiantou.

Recomendadas

Empresa espanhola de armamento recebeu carta semelhante à que explodiu na embaixada da Ucrânia

Uma empresa espanhola de armamento recebeu um envelope similar ao que foi enviado para a embaixada da Ucrânia em Madrid e que explodiu.

Atualização do IAS aumenta valor máximo do subsídio de desemprego em 93 euros

O valor máximo do subsídio de desemprego vai subir mais do que o previsto avançando 93 euros, para 1.201,08 euros, refletindo o aumento de 8,4% do Indexante de Apoios Sociais (IAS) em 2023.

Afinal, pensões mais baixas vão subir 4,83% em janeiro

Pensões até 961 euros vão ter aumento de 4,83%, pensões entre 961 euros e 2.883 euros vão subir 4,49% e pensões acima de 2.883 euros vão crescer 3,89%. Correção das atualização vai custar 110 milhões de euros, aos quais se somam os 1.155 milhões de euros já previstos.
Comentários