“Melhor resultado de sempre” nas quotas de pesca, diz ministra

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, congratulou-se com as negociações concluídas esta madrugada em Bruxelas sobre as possibilidades de pesca para o próximo ano.

Reuters

“Vamos ter um acréscimo no total de 11% nos valores fixados por quotas, que vai corresponder, e essa é uma excelente notícia, a quase 121 mil toneladas que poderão ser capturadas no próximo ano, o que, comparativamente com a base de dados que temos, é o melhor resultado de sempre”, declarou Ana Paula Vitorino, no final da reunião de ministros das Pescas da União Europeia, que demorou 16 horas de reunião no segundo dia de trabalhos.

A ministra sublinhou também que estes resultados foram conseguidos “à custa do aumento de quotas em espécies com bastante valor”, casos do tamboril, biqueirão e do bacalhau.

Por outro lado, apontou, os cortes propostos inicialmente pela Comissão Europeia acabaram por não se concretizar, dando como exemplo a pescada, espécie para a qual Bruxelas defendia um corte na ordem dos 34%, mas que se quedou nos 5%.

A ministra referiu que as “muito boas notícias para Portugal” se devem também às “muito boas notícias para a União Europeia”, porque “o estado das espécies envolvidas nestas quotas estão bastante melhores”, o que possibilitou as “excelentes notícias para Portugal”.

“Quer os aumentos das quotas, quer a não diminuição de quotas foram conseguidos com fundamentação científica muito apurada. Ou seja, estes valores são bons do ponto de vista socioeconómico, mas também respeitam a sustentabilidade das espécies, e portanto conseguimos trabalhar na perspetiva dos três pilares da sustentabilidade, que é o pilar ambiental, o pilar social e o pilar económico”, destacou, em declarações citadas pela agência Lusa.

Os ministros das Pescas da UE chegaram hoje a acordo sobre os totais admissíveis de capturas e respetivas quotas nacionais, numa maratona negocial em que Portugal viu os cortes da pescada reduzidos a 5% em 2017.

Recomendadas

Portugal sobe duas posições no Ranking Mundial de Talento e é agora o 24.º mais competitivo

Portugal melhora sobretudo na Investigação & Desenvolvimento e na Preparação. O podium mundial é liderado pela Suíça, Suécia e Islândia, as três economias mais competitivas em talento a nível mundial entre os 63 países analisados pela escola de negócios IMD.

António Costa: Ambiente+Simples ajuda investimento nas renováveis

O primeiro-ministro afirmou que a desburocratização e a digitalização da administração pública é fundamental para reduzir custos e facilitar o investimento nas renováveis.

Presidente do Peru detido após ser destituído e acusado de golpe de Estado

Pedro Castillo foi detido e está na sede da polícia de Lima, depois de ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a sua dissolução.
Comentários