Itália. Giorgia Meloni reivindica liderança do próximo governo (com áudio)

De acordo com resultados parciais, a coligação de direita e extrema-direita – liderada pelo FdI e que reúne ainda a Liga, de Matteo Salvini, e o partido conservador Força Italia, de Silvio Berlusconi – obteve entre 43% dos votos nas legislativas

A presidente do partido Irmãos de Itália (FdI), Giorgia Meloni, declarou hoje vitória nas eleições legislativas de domingo em Itália, reivindicando a liderança do próximo governo.

No primeiro discurso após a votação de domingo, Meloni garantiu que o partido irá governar “para todos” e “para que os italianos se possam orgulhar de ser italianos”.

“Os italianos enviaram uma mensagem clara de apoio a um governo de direita liderado” pelo FdI, disse Meloni, que deverá tornar-se a primeira mulher a liderar o executivo de Itália, à imprensa na capital, Roma.

De acordo com resultados parciais, a coligação de direita e extrema-direita – liderada pelo FdI e que reúne ainda a Liga, de Matteo Salvini, e o partido conservador Força Italia, de Silvio Berlusconi – obteve entre 43% dos votos nas legislativas.

O bloco de centro-esquerda, liderado pelo Partido Democrático, de Enrico Letta, deverá ter 26% dos votos.

“É hora de os italianos voltarem a ter um governo que sai de uma decisão nas urnas e é algo em que todos têm que prestar contas,” sublinhou Meloni.

A política de 45 anos lamentou uma campanha eleitoral que descreveu como “agressiva e violenta” e assegurou que “a Itália e a União Europeia precisam do contributo de todos perante a complexa situação” em que se encontram.

A participação nas eleições gerais da Itália no domingo foi de cerca de 63,81%, abaixo do valor de 72,9% registado nas eleições de 2018, disse a ministra do Interior italiana, Luciana Lamorgese.

Meloni lamentou a abstenção de 36%, a mais elevada de sempre, e assegurou que o objetivo será “reconstruir a relação entre o Estado e os cidadãos”.

“O desafio agora é fazer com que as pessoas acreditem nas instituições; muitos italianos ainda decidem não confiar”, disse.

“Temos que entender a responsabilidade que nos deram dezenas de milhões de italianos, não vamos trair essas pessoas”, prometeu Meloni.

Relacionadas

Marcelo aguarda resultados finais e realça importância da Itália na UE (com áudio)

Marcelo Rebelo de Sousa falou sobre as eleições italianas em resposta aos jornalistas, durante um encontro com emigrantes e lusodescendentes em Gustine, condado de Merced, na Califórnia, quando passava das 02:00 de segunda-feira em Portugal continental, fim de tarde de domingo na Costa Oeste dos Estados Unidos, onde são menos oito horas. 
Recomendadas

Peru: Vice-Presidente investida como nova chefe de Estado

Dina Boluarte, anterior vice-presidente peruana, foi empossada como a nova chefe de Estado, depois de Pedro Castillo ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a dissolução daquele órgão.

Irão: Greve resulta em mais um dia de repressão de protestos estudantis

O Irão viveu mais uma jornada de greve com o comércio parcialmente fechado e manifestações de estudantes universitários contra o regime, reprimidas pelas forças de segurança.

São-tomenses pedem intervenção de Guterres para “evitar mais sangue”

Uma petição lançada pelo analista político são-tomense Danilo Salvaterra, com mais de 600 assinaturas, pede a intervenção direta do secretário-geral da ONU para evitar mais derramamento de sangue.
Comentários