Mendes Godinho destaca reforço de 40% dos inspetores da ACT em 2020

“Tivemos um reforço de 40% no número de inspetores que com o OE 2021. Pretendemos que se transforme num reforço permanente e portanto passamos a ter isto como um reforço permanente do quadro de inspetores passando a ter 495 inspetores e fazendo um recrutamento também extraordinário em 2021”, explicou Ana Mendes Godinho.

João Relvas/Lusa

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho destacou esta segunda-feira dados sobre o desemprego, mas também o reforço de inspetores da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), durante audição no Parlamento.

“Tivemos uma preocupação muito grande do ponto de reforço da capacidade de fiscalização da ACT para também garantir que a implementação das medidas que estávamos a colocar no terreno eram acompanhadas também de uma verificação da situação e das condições de trabalho dos trabalhadores”, explicou Ana Mendes Godinho.

A governante sublinhou que “nós [Governo] tivemos uma preocupação de haver o reforço excecional do quadro de inspetores da ACT durante 202, tivemos um reforço de 40% no número de inspetores que com o Orçamento de Estado para 2021 pretendemos que se transforme num reforço permanente e portanto passamos a ter isto como um reforço permanente do quadro de inspetores passando a ter 495 inspetores e fazendo um recrutamento também extraordinário em 2021”.

Quanto aos números do desemprego, a ministra do Trabalho referiu que “aquilo que assistimos foi a um aumento significativo dos números de desemprego logo nos meses de Março e abril, depois com algum aumento no mês de maio e junho, mas desde o mês de julho que a tendência foi de estabilização dos números e até de algum decrescimento”.

“Se compararmos neste momento, os números das pessoas que estão inscritas nos centros do IEFP e os números de novembro face aos números de abril, verifica-se que temos uma diminuição das pessoas que estão registadas nos centros de emprego em cerca de menos seis mil pessoas que estão inscritas nos centros de emprego”, destacou Ana Mendes Godinho.

“Por outro lado, se vermos em termos de numero de emprego criado no terceiro trimestre face ao segundo trimestre em termos europeus, a média europeia houve uma recuperação de 1%, Portugal estava acima desta média com uma recuperação de 1,3%”, frisou a ministra do Trabalho acrescentando que “se compararmos o número de pessoas inscritas no IEFP em novembro face a fevereiro nos temos neste momento mais 83 mil pessoas inscritas no IEFP”.

 

Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.
Comentários