Mercado imobiliário continua em crescimento

As rendas brutas mantêm-se estáveis, mas há uma tendência para os proprietários reduzirem os incentivos concedidos a novos ocupantes. Este é o efeito do crescimento da procura, refere a C&W.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O setor de escritórios em Lisboa registou um novo crescimento, potenciado pela recuperação económica, estabilidade da taxa de desemprego e aumento da confiança das empresas.

Apesar de as rendas brutas se manterem estáveis, existe uma tendência por parte dos proprietários para reduzir os incentivos concedidos a novos ocupantes em resultado do aumento da procura. Os investidores também mostram uma forte dinâmica neste setor, sendo este o melhor trimestre do ano até à data.

O setor de retalho evolui em linha com a economia, retratada por uma recuperação da confiança dos consumidores e empresas. Também as vendas a retalho refletem a evolução positiva, tendo registado um aumento de 0,7% em agosto em comparação com o mês homólogo do ano anterior. Este setor mantém-se muito atrativo para os investidores, quer em comércio de rua, conjuntos comerciais ou unidades “stand alone”.

Relativamente ao mercado industrial e de logística, a recuperação da economia ainda não produziu efeitos positivos no setor. A procura de espaços logísticos e de armazéns é maior, embora ainda relativamente fraca, apesar de os proprietários continuarem a oferecer incentivos generosos. Verifica-se um aumento de atividade no setor de investimento por parte de investidores internacionais especialmente no que se refere a imóveis logísticos.

A informação é do Snapshots Portugal, publicado trimestralmente pela Cushman & Wakefield e que resume a atividade dos setores de escritórios, retalho e industrial em cidades-chave, analisando tendências recentes, bem como dados de mercado e o seu impacto no setor imobiliário comercial.

OJE

Recomendadas

PremiumVila Maior investe 140 milhões no Grande Porto

Grupo Construções Vila Maior aposta na Área Metropolitana do Porto para desenvolver os seus projetos residenciais, nomeadamente nos concelhos de Gaia, Matosinhos e Espinho, e de arrendamento industrial em Santa Maria da Feira.

Custos de construção de habitação nova aumentam 13% em termos homólogos

Os custos de construção de novas habitações em outubro aumentaram 12,5% face ao ano passado, estima o Instituto Nacional de Estatística. O valor fica 0,8 pontos percentuais abaixo dos dados de setembro. Materiais e custo da mão-de-obra representam as maiores variações.

Investimento no sector de retalho cresceu 170% em Portugal até setembro

A análise europeia da consultora Savills revela que o investimento em centros comerciais representou 27% de toda a atividade de investimento no segmento de retalho, em comparação com os 14% verificados no período homólogo do ano passado.