Mercadona assina novo contrato coletivo de trabalho em Espanha

Este anúncio é feito no mesmo dia em que o CESP – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal anunciou um pré-aviso de greve ao trabalhos nos centros comerciais e grandes superfícies para a véspera de Natal, dia 24 de dezembro,

A Mercadona assinou hoje com os sindicatos espanhóis um novo acordo coletivo de trabalho da empresa, que vigorará cimco anos, entre 1 de janeiro próximo e o final de 2023.

“Em Portugal, a empresa está sujeita ao Acordo Coletivo da APED [Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição], tendo-o como referência para construir a sua política de remuneração e os direitos dos trabalhadores”, explica a cadeia de distribuição espanhola em  comunicado.

Este anúncio é feito no mesmo dia em que o CESP – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal anunciou um pré-aviso de greve ao trabalhos nos centros comerciais e grandes superfícies para a véspera de Natal, dia 24 de dezembro, em litígio precisamente pelo fato de as empresas associadas da APED alegadamente continuarem a não apresentar propostas de verdadeiro aumento dos salários e correção das injustiças e descriminações existentes.

A Mercadona considera que “com o novo acordo, uma melhoria no poder de compra é garantida e a reconciliação da vida familiar e profissional é reforçada”.

“Além disso, incorpora a criação de um Observatório conjunto que proporcionará maior flexibilidade e eficiência à empresa para o lançamento de novas propostas nessas matérias”, acrescenta o referido comunicado.

O acordo foi assinado entre a Mercadona e os representantes da União Geral de Trabalhadores (U.G.T.) e Comisiones Obreras (CC.OO.).

“O novo acordo laboral, mais igualitário e social, reforça o compromisso da Mercadona com o emprego estável e de qualidade, melhora as condições de trabalho que oferece ao mesmo tempo que consolida o seu compromisso de melhorar o poder de compra dos colaboradores, com uma política de remuneração que envolve aumentos de 11% ao ano até ao 5.º escalão, e um aumento progressivo do salário base vinculado ao Índice de Preços no Consumidor (IPC)”, adianta o referido comunicado.

O mesmo documento acrescenta que “a Mercadona também assinou com os representantes sindicais o Plano de Igualdade, com o qual consolida a sua linha de atuação a favor da igualdade de oportunidades, reforçando as metas alcançadas com o Plano anterior: em 2017, 47% das promoções em cargos executivos foram para mulheres; por outro lado, a equidade é um valor inalienável no modelo da companhia, que se aplica desde 1997 e de maneira transversal ao princípio de que “igual responsabilidade, o mesmo salário”.

A Mercado assegura que este Plano de Igualdade também será implementado pela empresa em Portugal.

“Desde 1993, ano em que a Mercadona iniciou a implementação do seu Modelo de Qualidade Total, a empresa não só promoveu a prática da igualdade entre mulheres e homens no acesso ao emprego, formação e promoção interna, mas também fomentou a conciliação da vida familiar e profissional. Tal como a Comissão de Igualdade criada para esse efeito verificou durante a vigência do Plano anterior”, conlui o comunicado da cadeia espanhola de distribuição que prevê abras primeiras lojas em Portugal no próximo ano de 2019.

Recomendadas

“Taxa Amazon”. Barcelona prepara-se para taxar empresas de entregas

A cidade espanhola deverá aplicar uma taxa às empresas que circulem no espaço público para entregar encomendas online. Medida abrange empresas com mais de um milhão de euros em receitas anuais e deverá encaixar cerca de 3 milhões nos cofres da autarquia.

ORES Portugal compra três hipermercados por 26,2 milhões que alugará ao Continente (com áudio)

Os três ativos imobiliários são objeto de contratos de arrendamento de longa duração com o Continente, do grupo Sonae, segundo um comunicado da SIGI do Bankinter e da Sonae Sierra.

Minipreço diz que lança o primeiro saco de plástico que protege os oceanos, mas é virtual

A cadeia de supermercados Minipreço, no sentido de alertar para a imprescindibilidade de reduzir o consumo de plástico, nomeadamente sacos e descartáveis, diz que foi criado “um saco de plástico virtual que, ao invés de prejudicar a natureza, auxilia na sua preservação através de donativos”.
Comentários