Mercedes cada vez mais líder mundial no mercado ‘premium’

A Mercedes-Benz vai terminar o ano como líder do mercado premium mundial. Até novembro, a marca registou um crescimento de 11,8%.

Mercedes-Benz

A Mercedes-Benz é a marca líder mundial do mercado ‘premium’. Após renovar toda a sua gama, os alemães estão agora a colher os frutos das escolhas efetuadas e superaram a BMW, líder indiscutível nos últimos anos e ultrapassou a Audi em crescimento, grande rival alemão.

A empresa da estrela mantém um crescimento de dois dígitos já que até novembro a Mercedes cresceu 11,8% relativamente ao mesmo período de 2015 com um volume de 1.893.619 unidades. Em novembro foram entregues 182,602 veículos, mais 12,7%. No mês passado, a Mercedes.Benz foi a primeira marca com matrículas novas na Alemanha, França, Suíça, Áustria, Japão, Taiwan, EUA, Canadá e México.

Por modelos, o êxito do Classe C parece ter vindo para ficar. Desde o seu lançamento em 2014, a Mercedes já entregou mais de um milhão de unidades entre as variantes da berlina e a familiar.

Recomendadas

OE2022: Receita fiscal aumenta 19% até outubro para 42.945 milhões de euros

“Em termos acumulados, a receita fiscal líquida do subsetor Estado até outubro de 2022 aumentou em 6.858,8 milhões de euros (+19%) face ao valor registado no mesmo período de 2021, no qual estavam em vigor restrições à atividade económica devido à pandemia covid-19”, pode ler-se na síntese da DGO.

Estado regista excedente de 2.540 milhões de euros até outubro

Apesar do aumento homólogo, o saldo recuou em cerca de 2,7 mil milhões face ao mês anterior devido às medidas para mitigar o impacto da inflação.

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo vai liderar fundo de resgate da zona euro

Num comunicado hoje divulgado, o fundo de resgate do euro indica que “o Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, nomeou hoje o ex-ministro das finanças luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor-executivo”, que ocupa a partir de 1 de dezembro.
Comentários