Merkel lamenta 12 mortos em Berlim, oposição culpa chanceler

Chanceler alemã Angela Merkel reagiu ao atentado de segunda-feira à noite em Berlim que matou 12 pessoas e feriu outras 48.

Stefanie Loos/Reuters

A chanceler alemã Angela Merkel reagiu ao atentado de segunda-feira à noite em Berlim e disse lamentar os mortos. O comunicado foi feito através do Twitter do porta-voz de Merkel. A extrema direita do país pediu, no entanto, uma posição mais forte do Governo. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa também já enviaram mensagens de solidariedade para com a Alemanha.

“#Breitscheidplatz – Lamentamos os mortos e esperamos que os muitos feridos recebam ajuda”, pode ler-se no tweet de Steffen Seibert. O porta-voz de Angela Merkel anunciou também na rede social que a chanceler se reuniu com o Ministro do Interior alemão Thomas de Maizière e com o mayor de Berlim, Michael Müller para discutir “as notícias terríveis”.

Por outro lado, o líder do partido de extrema direita Alternativa para a Alemanha, Marcus Pretzell, culpou a chanceler pelo atentado. “Quando vai o Estado contra-atacar? Quando é que esta hipocrisia vai terminar? São mortos da Merkel!”, escreveu Pretzell no Twitter.

Recomendadas

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Bósnia-Herzegovina: eleições ensombradas por milhares de votos inválidos

Quatro dias após as eleições, ainda não há resultados validados e o risco do não reconhecimento do ato eleitoral ou da sua repetição é grande. Entretanto, na República Srpska, Mirolad Dodic jura fidelidade a Moscovo.

Lado turco de Chipre exige reconhecimento às forças de paz da ONU

A República Turca do Chipre do Norte, país que só a Turquia reconhece, quer que a força de paz da ONU, que está no terreno desde 1964, reconheça a existência do país. Ou então que se retire.
Comentários