Merkel vai recandidatar-se à liderança da Alemanha

Fonte próxima do partido afirma que a chanceler alemã vai voltar a candidatar-se a um quarto mandato à frente da União Democrata-Cristã (CDU) nas eleições do próximo ano.

A chanceler alemã, Angela Merkel, vai voltar a candidatar-se pela União Democrata-Cristã (CDU) nas eleições gerais do próximo ano, para tentar um quarto mandato, avança este domingo o jornal alemão Bild.

Segundo a publicação alemã, Merkel deverá oficializar a candidatura no final da conferência da CDU, a decorrer este domingo, em Berlim.

Angela Merkel tem 62 anos e está à frente da maior economia da zona euro desde 2005. É vista como “uma força estabilizadora na Europa”, escreve a agência Reuters.

No entanto, a popularidade da atual líder alemã já conheceu melhores dias. Os resultados das eleições regionais foram um golpe duro para Merkel, depois de ter sido perdido terreno para o partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD).

A causa apontada para o recrudescimento da insatisfação dos eleitores alemães com a CDU tem sido a política de asilo defendida por Angela Merkel. Em 2015, a Alemanha acolheu 1,1 milhões de refugiados, quando os críticos e grande parte dos eleitores pretendiam que o número fosse bem inferior.

Recomendadas

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Iraque. Violência regressa às ruas de Bagdad

Apoiantes de clérigo xiita Muqtada Al-Sadr entraram em confronto com forças de segurança iraquianas na capital, fazendo regressar a violência, depois de algumas semanas de paz política.
Comentários