Meses de verão superam 3,1 milhões de dormidas no alojamento turístico da Madeira

No mês de setembro de 2022, o número de dormidas no alojamento turístico aproximou-se dos 960,4 mil, traduzindo um acréscimo de 25% em comparação com o mês homólogo (768,3 mil dormidas em setembro de 2021).

Cliff Bay Madeira

O total de dormidas nos meses de verão (julho, agosto e setembro) na Região Autónoma da Madeira (RAM) totalizou 3,1 milhões, valor superior, por exemplo a todo o ano de 1993, indicam os dados da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM).

As estimativas, referentes a setembro de 2022, revelam que 91,5% dos estabelecimentos do alojamento turístico da RAM registaram movimento de hóspedes neste mês. Analisando por segmento, verifica-se que foi a hotelaria que apresentou a maior percentagem de estabelecimentos com movimento de hóspedes, com 93,8%, seguida do alojamento local, com 91,6%, e do turismo no espaço rural, com 85,2%.

No mês de setembro de 2022, o número de dormidas no alojamento turístico aproximou-se dos 960,4 mil, traduzindo um acréscimo de 25% em comparação com o mês homólogo (768,3 mil dormidas em setembro de 2021). Embora as dormidas contabilizadas em setembro de 2022 tenham ficado abaixo dos registos de julho e agosto do mesmo ano, nos quais o limiar de um milhão foi ultrapassado, aquele valor corresponde ao mais alto de sempre no mês de setembro e ao terceiro registo mensal mais elevado de sempre.

Excluindo o alojamento local com menos de dez camas, as dormidas do alojamento turístico apresentaram um acréscimo de 20,7% relativamente a setembro de 2021, inferior ao observado no País, que foi de 37,4%.

Os proveitos totais e os de aposento, em setembro de 2022, apresentaram crescimentos homólogos de 32% e 38,1%, respetivamente, fixando-se, pela mesma ordem, nos 55,1 e 38,9 milhões de euros. No País, no mês em referência, os proveitos totais e de aposento observaram variações homólogas positivas, de 70,3% e 74,5%, pela mesma ordem. Tal como sucede nas dormidas, o mês de setembro de 2022 foi de recorde também para os proveitos.

A hotelaria concentrou 78,6% das dormidas (754,8 mil) de setembro de 2022, crescendo 20,1% em termos homólogos. De janeiro a setembro de 2022, este segmento registou igualmente um aumento nas dormidas, com um aumento de 128,9%, fixando-se estas nos 5,7 milhões, ou seja, mais 3,2 milhões face ao mesmo período do ano anterior.

Analisando as dormidas nos principais mercados emissores, verificaram-se variações homólogas bastante positivas. O mercado francês sobressaiu, registando o crescimento mais elevado, de 45,5%, seguido dos mercados alemão e britânico, com aumentos de 41,9% e 12%, pela mesma ordem. No mercado nacional, as dormidas também registaram um incremento face a setembro de 2021, crescendo 16,1%.

Comparando o período de referência com setembro de 2019 (período pré-pandemia), a atividade no alojamento turístico apresentou um crescimento de 23,5% nas dormidas, com o mercado de residentes no estrangeiro a registar um acréscimo de 13,9%. Considerando os principais mercados deste segmento, verificaram-se variações positivas nos mercados britânico, com mais 16,4%, e alemão, com mais 4,6%, contrariamente ao mercado francês, que apresentou um decréscimo de 7,9%. O mercado nacional manteve a tendência de crescimento que se tem observado nos últimos meses, com mais 78,8% face a setembro de 2019.

O valor da estada média, no total do alojamento turístico, no mês de setembro de 2022, registou uma diminuição relativamente ao mesmo mês do ano anterior (5,15 noites), fixando-se nas 4,91 noites.

A taxa de ocupação-cama do alojamento turístico, no mês em referência, foi de 72,1%, ou seja 4,8 pontos percentuais (p.p.) acima do observado no mês homólogo, quando registou 67,3%. Por sua vez, a taxa de ocupação-quarto atingiu os 82,8% (76,3% em setembro de 2021).

No mês de setembro de 2022, o RevPAR (proveitos de aposento por quarto disponível) rondou os 73,74 euros no conjunto do alojamento turístico (excluindo o alojamento local abaixo das dez camas), mais 25,8% que no mesmo mês do ano precedente. Comparando com o valor de setembro de 2019, de 51,88 euros, verificou-se também um acréscimo, de 42,1%.

Por sua vez, o proveito por quarto utilizado (ADR) no alojamento turístico passou de 76,80 euros, em setembro de 2021, para 89,07 euros, em setembro de 2022, mais 16% de variação homóloga).

Recomendadas

Proteção Civil dos Açores pede à população que fique em casa devido ao mau tempo

Todas as ilhas dos Açores possuem vários avisos, alguns deles laranja, correspondentes a situações meteorológicas “de risco moderado a elevado”. No grupo ocidental o aviso é laranja mas está perto do vermelho, alerta a Proteção Civil.

PS acusa Lopes da Fonseca de mentir sobre construção de novas residências universitárias na Madeira

Rui Caetano salienta que a nova residência universitária garantida para o Funchal representa um investimento de 6,5 milhões de euros e irá disponibilizar 200 camas para estudantes universitários.

Eutanásia. Presidente da Assembleia da Madeira alega que Região não foi ouvida e pede veto

O presidente do parlamento da Madeira apelou hoje ao Presidente da República que não promulgue o diploma da despenalização da morte medicamente assistida, considerando que está ferido de inconstitucionalidade por falta de audição das Regiões Autónomas.
Comentários