Metro de Lisboa mantém horário habitual na noite da passagem de ano

O Metropolitano de Lisboa também “informa que na noite de 31 de dezembro, circulará com composições de seis carruagens em todas as linhas até às 01h00, hora de encerramento ao público”.

O metro de Lisboa vai manter o horário habitual na noite da passagem de ano e vai estar a circular com composições de seis carruagens.

Em comunicado enviado às redações esta quarta-feira, o Metropolitano de Lisboa informou que “manterá o seu horário habitual de exploração na passagem do ano, encerrando o serviço de exploração às 01h00 na noite de 31 de dezembro para 01 de janeiro e recomeçando a exploração às 6h30 de dia 1 de janeiro de 2021”.

O metropolitano também “informa que na noite de 31 de dezembro, circulará com composições de seis carruagens em todas as linhas até às 01h00, hora de encerramento ao público”.

O fim de ano estará sujeito a algumas restrições. A 17 de dezembro, o primeiro-ministro, António Costa anunciou que será decretado o recolher obrigatório a partir das 23:00 de 31 de dezembro e das 13:00 de 1, 2 e 3 de janeiro. As medidas vão ser aplicadas ao país inteiro e não existirá distinção entre concelhos.

Recomendadas

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.
Comentários