PremiumMetro em “Alcântara será uma realidade em 2025-2026”, diz ‘chairman’ da empresa

O prolongamento da linha vermelha de São Sebastião a Alcântara terá uma extensão de cerca de 3,7 quilómetros e quatro novas estações: Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara, onde se prevê uma ligação à futura linha intermodal sustentável, promovendo a ligação ao concelho de Oeiras (LIOS Ocidental).

O prolongamento da linha vermelha de São Sebastião a Alcântara terá uma extensão de cerca de 3,7 quilómetros e quatro novas estações: Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara, onde se prevê uma ligação à futura linha intermodal sustentável, promovendo a ligação ao concelho de Oeiras (LIOS Ocidental), avança Vítor Domingues dos Santos, presidente do conselho de administração do Metropolitano de Lisboa (ML).

No prolongamento entre São Sebastião e Alcântara, mantêm-se os dados: 3,7 quilómetros, quatro estações e investimento de 280 milhões de euros, sem material circulante?
O prolongamento da linha vermelha de São Sebastião a Alcântara terá uma extensão de cerca de 3,7 quilómetros e quatro novas estações: Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara, onde se prevê uma ligação à futura linha intermodal sustentável, promovendo a ligação ao concelho de Oeiras (LIOS Ocidental). No âmbito deste investimento, decorrem os estudos para a finalização do estudo de impacto ambiental a submeter à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), nos termos na legislação aplicável, e posterior emissão da declaração de impacto ambiental (DIA). A parte norte da freguesia de Campolide será servida pela estação Amoreiras, prevendo-se a sua localização junto a um dos limites da referida freguesia (junto à Avenida Eng. Duarte Pacheco/Conselheiro Fernando de Sousa).

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Contrato da CEO da TAP: “Não é só falta de retificação, é falta de aprovação”

O advogado Rogério Alves reagiu à notícia avançada pelo Jornal Económico. O contrato de Christine Ourmières-Widener com a TAP não só não foi retificado em AG como não foi aprovado. “Isto politicamente tem um custo”, diz.
Comentários