Michael Temer quer recuperar confiança do exterior no Brasil

O Presidente do Brasil, Michael Temer, defende uma política externa presidencialista que consiga reconquistar a confiança internacional no país.

Michel Temer, PMDB, 2016-

Presidente no poder desde o ‘impeachment’ de Dilma Rousseff, Temer mostra a intenção de querer recuperar a dinâmica do Brasil, a braços com uma crise política e económica.

Num artigo publicado no jornal Estadão, advoga que a prioridade da política externa brasileira deverá passar por “resgatar a confiança no Brasil – confiança que se traduz em investimentos, crescimentos e empregos”.

O chefe de Estado brasileiro não demonstra querer quebrar aquela que tem sido a tradição diplomática do Ministério das Relações Exteriores, desde o período democrático. A política externa do país de Tom Jobim tem sido marcada pela continuidade, sem cortes bruscos de relações diplomáticas com outros Estados.

No artigo de opinião, Temer realça que a aposta na diplomacia regional convive com a aposta brasileira numa política externa multilateral. A primeira visita de Estado foi à vizinha Argentina e a segunda ao Paraguai. Contudo, o chefe de Estado refere a abrangência de visitas oficiais à China, Estados Unidos, Índia e Japão, bem como a presença em fóruns multilaterais.

Brasília sediou ainda a reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), cuja presidência virá a assumir em 2018. O Presidente brasileiro regozijou-se ainda com a recente realização da Cimeira Luso-Brasileira, cuja última edição havia decorrido em 2013. “Revigoramos, dessa forma, uma de nossas mais tradicionais parcerias, porta de entrada do Brasil na Europa”, frisou.

Recomendadas

Irão: Guarda Revolucionária ataca grupos curdos no Iraque

A poderosa Guarda Revolucionária do Irão desencadeou hoje uma onda de ataques com ‘drones’ e artilharia no norte do Iraque, visando o que Teerão diz serem bases de separatistas curdos iranianos, indicou agência noticiosa semioficial Tasnim.

António Guterres pede fim da “era da chantagem nuclear” e apela a “recuo”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou hoje ao fim da “era da chantagem nuclear”, afirmando que o uso de armas nucleares levaria a um “armageddon humanitário”, tornando necessário um “recuo” face às atuais tensões.

Ucrânia. Reino Unido sanciona organizadores de “referendos fraudulentos”

O Reino Unido anunciou hoje sanções contra 33 indivíduos ligados a “referendos fraudulentos” sobre a integração na Rússia de regiões da Ucrânia sob ocupação russa.
Comentários