BCP vai desligar os letreiros nas mais de 400 sucursais em Portugal (com áudio)

A entidade bancária sublinha o objetivo de se juntar aos portugueses na redução do consumo de energia elétrica. A informação foi dada a conhecer numa nota à comunicação social.

Millenium bcp (8º lugar)

O Millenium bcp promete desligar os letreiros das mais de 400 sucursais em todo o país, por tempo indeterminado. A medida que faz parte do objetivo de reduzir o consumo de energia elétrica. A entidade bancária compromete-se, desta forma, com “as pessoas, o ambiente e a sociedade em geral”, juntamente com todos os portugueses que pretendem reduzir o consumo de energia.

Numa nota à comunicação social, o Millenium bcp destaca que, “ao longo dos últimos cinco anos”, conseguiu “reduzir o consumo de energia do Banco em 60%” e lembra que está em marcha um plano de sustentabilidade do qual fazem parte medidas que visam “a contínua redução dos consumos de energia, água e papel”.

O Banco refere ainda que, desde 2021, toda a eletricidade utilizada nas instalações (serviços centrais e sucursais) em Portugal é totalmente verde, que contempla energia produzida pela central fotovoltaica da entidade e energia adquirida com certificado de origem renovável.

Recomendadas

A parceria que privilegia a economia social e as suas organizações ganha mais três anos

Daniel Traça, Dean da Nova SBE, e José Pena do Amaral, Consultor da Comissão Executiva e Membro da Comissão de Responsabilidade Social do BPI, explicam ao JE a originalidade da parceria Iniciativa para a Equidade Social, o que envolve e o que pretende alcançar. A parceria junta a Fundação “la Caixa”, o BPI e a Nova SBE.

Fundação ”la Caixa”, BPI e NOVA SBE renovam parceria de 2,2 milhões

Iniciativa para a Equidade Social vai prolongar-se por mais três anos, até 2024, segundo acordo assinado esta tarde na Nova SBE, em Carcavelos. A parceria tem como objetivo impulsionar o sector da economia social em Portugal, através de projetos de investigação e capacitação desenvolvidos por equipas académicas especializadas.

Bancários reformados avançam com “manif” para 6 de outubro e pedem fiscalização da constitucionalidade a Marcelo

Os sindicatos da banca filiados na UGT entregaram hoje ao Presidente da República o pedido de fiscalização sucessiva previsto na Constituição relativamente ao pacote legislativo de mitigação da inflação, atendendo à sua previsível inconstitucionalidade por não incluir a totalidade dos bancários reformados.
Comentários