Ministério da Saúde retoma negociações com sindicatos nas próximas semanas

Na conferência de imprensa sobre a Direção Executiva do SNS, o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, afirmou que o Ministério está “muito empenhado” no retomar das negociações.

O ministro da Saúde avançou hoje que as negociações com os sindicatos que representam os médicos e os enfermeiros serão retomadas nas próximas semanas, assumindo o Governo todos os compromissos que já estavam estabelecidos.

As negociações entre o Governo e os sindicatos foram interrompidas com a demissão da equipa ministerial, tutelada por Marta Temido, no final de agosto.

Na conferência de imprensa sobre a Direção Executiva do SNS, o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, afirmou que o Ministério está “muito empenhado” no retomar das negociações.

“Nós devemos uma palavra, quer aos sindicatos médicos, quer aos sindicatos de enfermeiros, que tinham processos de negociação em curso que foram naturalmente interrompidos com a mudança do membro do Governo responsável pela área da saúde”, disse Manuel Pizarro em resposta aos jornalistas.

O ministro sublinhou que têm “consciência que os profissionais são a componente mais relevante do Serviço Nacional de Saúde” e que têm de contar com o seu envolvimento ativo.

“O que posso garantir é que as negociações, quer com os enfermeiros, quer com os médicos, serão retomadas nas próximas semanas, assumindo o Governo todos os compromissos que já estavam estabelecidos”, afirmou.

Segundo o ministro, o processo de negociação será retomado no ponto em que ficou.

Nesta negociação estão questões como o regime de dedicação plena no Serviço Nacional de Saúde, que faz parte do Programa do Governo, a organização do trabalho em serviço de urgência, a grelha salarial e a valorização dos profissionais.

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

Cotrim de Figueiredo diz que a única certeza na TAP é a perda de dinheiro

O líder da IL comentava as declarações do primeiro-ministro, que disse, na quinta-feira, esperar que a privatização da TAP ocorra nos próximos doze meses.

Brasileiros fazem fila para votar em Lisboa na abertura das urnas

Caso nenhum dos candidatos obtenha a maioria de 50% mais um voto este domingo, a segunda volta realiza-se com os dois mais votados no dia 30.
Comentários