Ministério do Ambiente anuncia mais de três mil fiscalizações em 2021

As entidades que integram o Plano Nacional de Fiscalização e Inspeção Ambiental (PNFIA) realizaram 3.086 ações de fiscalização/inspeção a operadores e empresas em 2021, tendo sido levantados um total 541 autos de notícia, o que corresponde a 17,53% das situações verificadas.

Cristina Bernardo

As entidades que integram o Plano Nacional de Fiscalização e Inspeção Ambiental (PNFIA) realizaram 3.086 ações de fiscalização/inspeção a operadores e empresas em 2021, tendo sido levantados um total 541 autos de notícia, o que corresponde a 17,53% das situações verificadas.

O maior número de infrações e de autos de notícia levantados ocorreu nos setores de Gestão de Resíduos (161 autos e 54 notificações), Pecuárias e Agropecuárias (76 autos e 8 notificações) e Metalomecânica (34 autos e 4 notificações).

Dentre as atividades com o maior número de ações fiscalização/inspeção destacam-se os setores da Gestão de Resíduos (567 ações), de Extração de Minérios e Inertes (352 ações) e das Construções em Domínio Hídrico (314 ações), seguindo-se-lhes as situações não tipificadas (282 ações) e as Pecuárias e Agropecuárias (204 ações), lê-se no comunicado.

O anúncio foi feito pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

“Coordenado pela Inspeção Geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território (IGAMAOT), o PNFIA2021 resulta das ações desenvolvidas em Portugal Continental pelas cinco administrações das regiões hidrográficas (Norte, Centro, Tejo Oeste, Alentejo e Algarve), pelas cinco comissões de coordenação e desenvolvimento regional (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve), pela Direção Geral de Energia e Geologia e pela própria Inspeção”, refere o comunicado do Ministério liderado por Duarte Cordeiro.

Os distritos em que foram detetadas mais infrações e levantados mais Autos de Notícia são os de Lisboa (com 82 autos), Santarém e Setúbal (ambos com 62 autos), seguindo-se-lhes Leiria (com 52 autos), Aveiro (com 50 autos), Évora (com 48 autos) e Porto (com 47 autos).

O relatório PNFIA_2021 destaca ainda o setor dos Aterros, no qual a campanha de inspeção/fiscalização iniciada em 2020, com 85 ações e 33 autos de notícia, teve continuidade em 2021, com 40 ações (31 das quais da IGAMAOT) e 21 autos de notícia (20 da IGAMAOT).

O ministério destaca ainda o setor das Pecuárias e Agropecuárias, “no qual, em relação a 2020, houve um acréscimo do número de ações (68) — devido, principalmente, ao incremento das fiscalizações ao setor pela ARH Centro —, com uma percentagem de autos de notícia em relação ao número de ações de fiscalização/inspeção na ordem dos 47,1%, contra 37,3% em 2020”.

O Plano Nacional de Fiscalização e Inspeção Ambiental (PNFIA) foi lançado em 2017 como uma estratégia integrada, com o propósito de articular as entidades de fiscalização e de inspeção na área governativa do Ambiente.

“A plataforma PNFIA é gerida pela IGAMOT e permite planear anualmente, num quadro de cooperação institucional, a atuação das entidades de fiscalização e de inspeção na área do ambiente, rentabilizando recursos e evitando sobreposições (ou omissões) de atuação, com ganhos de eficiência no controle do cumprimento da legislação ambiental”, contextualiza o ministério que acrescenta que “esta plataforma acomoda também os resultados dessas ações, que é objeto de Relatório Anual, cuja informação sistematizada permite às entidades envolvidas o conhecimento do que foi fiscalizado/inspecionado no ano anterior”.

“O intercâmbio de informação daí resultante possibilita uma melhor sustentação de decisões em processos de licenciamento e, não menos importante, direcionar as atuações dessas entidades para setores de atividade ou operadores mais problemáticos”, conclui.

Recomendadas

Sismos. São Jorge sem eventos sentidos desde quinta-feira

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) não regista sismos sentidos pela população na ilha de São Jorge desde quinta-feira.

PAN propõe plástico zero nos supermercados até 2026

A legislação atual determina que, a partir do dia 1 de junho de 2023, todos os estabelecimentos comerciais que vendem pão, fruta e legumes vão ficar impedidos de vender sacos de plástico ultraleves.

Guimarães, Porto e Lisboa entre 100 cidades da União Europeia neutras e inteligentes até 2030

Guimarães, Porto e Lisboa foram as cidades selecionadas em Portugal para participar na missão da União Europeia (UE) para ecossistemas de inovação e com vista à neutralidade do ponto de vista climático até 2030, foi hoje anunciado.
Comentários