Ministério Público pede prisão preventiva para Manuel Pinho (com áudio)

O Ministério Público pediu a medida de coação mais gravosa a que Manuel Pinho podia estar sujeito.

O Ministério Público pediu, esta quarta-feira, prisão preventiva para o ex-ministro da Economia Manuel Pinho, sendo esta a medida de coação mais gravosa a que podia estar sujeito o antigo governante, avançou o “Observador”.

Na terça-feira Manuel Pinho, indiciado por fraude fiscal e branqueamento de capitais no caso EDP, foi detido e passou a noite no Comando Metropolitano da PSP, em Moscavide. Por sua vez, a mulher Alexandra Pinho foi igualmente constituída arguida no caso EDP ontem e indiciada pelo crime de branqueamento de capital. O mandato de detenção de Alexandra Pinho foi anulado ao contrário do que aconteceu com o marido.

A detenção do ministro do Governo de José Sócrates decorreu no âmbito do processo 184/12 do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). O Ministério Público defendeu, entre outros argumentos, que existia suspeita de perigo de fuga do ex-governante. De recordar que Manuel Pinho vive em Alicante, Espanha, E TEM facilidade em deslocar-se para outros países, sendo este um dos motivos que levou o Ministério Público a assumir a a possibilidade de fuga.

Relacionadas

Manuel Pinho suspeito de criar nova offshore para apagar rasto das luvas do BES (com áudio)

Segundo o “Jornal de Notícias”, uma das suas contas offshore foi criada para apagar 3,7 milhões em luvas que terá recebido do BES.

Caso EDP: Manuel Pinho conhece hoje medidas de coação (com áudio)

As medidas de coação do antigo ministro Manuel Pinho vão ser conhecidas esta quarta-feira. O antigo ministro ficou ontem detido depois do interrogatório.

Respostas Rápidas: Conheça os pormenores sobre o caso de fraude fiscal que envolve o ex-ministro da Economia

O antigo ministro da Economia foi detido esta terça-feira depois de ser interrogado. Conheça melhor o caso.

“Manuel Pinho? Magistraturas querem evitar nova fuga, como aconteceu com Rendeiro”, realça advogado Paulo de Sá e Cunha

O ex-ministro foi detido esta terça-feira no âmbito do caso EDP indiciado por fraude fiscal e branqueamento de capitais. O advogado Paulo de Sá e Cunha, sócio da Cuatrecasas Portugal, explica os contornos deste caso nesta entrevista “Fast Talk” de Bianca Marques, jornalista do JE.
Recomendadas

Justiça suíça abre processo sobre fuga de informação no Credit Suisse

Em fevereiro de 2022 foram expostas mais de 18 mil contas do Credit Suisse que estarão ligadas a empresários sobre os quais recaem sanções ligadas à violação dos direitos humanos, e pessoas envolvidas em esquemas de fraude.

Tribunal de Leiria condena homem a 10 anos de prisão por abuso sexual de enteadas

O Tribunal Judicial de Leiria condenou um homem a 10 anos de prisão por cinco crimes de abuso sexual de criança agravados, de que foram vítimas duas irmãs, suas enteadas, segundo o acórdão hoje consultado pela agência Lusa.

Processo que envolve direção do Benfica em segredo de justiça

Os advogados do Benfica referiram hoje que o processo em que a SAD e membros do Conselho de Administração do mandato 2016-2020 foram constituídos arguidos está em “segredo de justiça” e que a divulgação “pode constituir ilícito criminal”.
Comentários